Células-tronco presentes nos dentes de leite podem salvar vidas

Visualizado 573 vezes
Células-tronco presentes nos dentes de leite podem salvar vidas
Avalie este conteúdo

Muitas mães ainda seguem a tradição de incentivar os filhos a guardar os primeiros dentes de leite que caem com o avanço da idade.

Mas esse hábito pode trazer muito mais benefícios do que ter uma simples lembrança da infância ou a criança ganhar um presente da “fada do dente”.

Os dentes de leite podem contribuir para uma melhoria na saúde e até salvar vidas. Pesquisas científicas mostram que eles são excelentes fontes de células-tronco do tipo mesenquimal, ou seja, células capazes de se transformarem em diversas outras células e tecidos do corpo humano. Isso pode aumentar, consideravelmente, as possibilidades de tratamento e cura de doenças que hoje são consideradas incuráveis pela medicina.

De acordo com a cirurgiã bucomaxilofacial Thaiz Arrabal, diferente do material extraído do cordão umbilical, que é utilizado apenas no tratamento de doenças sanguíneas, as células-tronco presentes nos dentes de leite podem ser utilizadas em uma série de tratamentos. “Essas células podem ajudar até na cura do Alzheimer. São células-tronco que poderão dar origem a novos neurônios e também serem potentes anti-inflamatórios”, explica.

Essas células-tronco não tratam somente doenças como o Alzheimer, mas também são fonte de esperança para tratamentos de doenças que exigem uma cicatrização mais rápida, a substituição de células defeituosas e até mesmo para ajudar pacientes a voltar a enxergar.

Entretanto, a extração do dente de leite para a coleta das células-tronco não é um procedimento que pode ser feito de qualquer maneira. A Drª Thaiz Arrabal diz que, mesmo que seja simples e prático, o procedimento deve ser feito por um dentista de confiança e que esteja apto a realizá-lo. “Para um maior aproveitamento das células-tronco coletadas, o dente que será extraído precisa estar sadio, sem cáries ou problemas estruturais. Por isso o dentista tem que saber analisar o estado do dente e estar capacitado para realizar o procedimento seguindo todo o protocolo,  até enviar para o laboratório especializado na coleta e armazenagem das células”, completa.

Foi pensando nisso que a dentista Marcela Carrera decidiu fazer a coleta do material nos dentinhos de leite da sobrinha Clara, de sete anos. “É importante pensar em prevenir para ter mais qualidade de vida. Essas células podem ser usadas para curar uma grande quantidade de doenças, como câncer e diabetes, e até para casos de acidentes e queimaduras”, explicou.

Fonte: EsHoje

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »