Curitiba inaugura o primeiro Condomínio Social do País

00147812
Visualizado 1.350 vezes

O depoimento do ex-morador de rua Francisco Andrade do Nascimento emocionou as dezenas de pessoas que participaram, nesta segunda-feira (26), do lançamento oficial da  República Condomínio Social, um serviço inédito no Brasil que funciona experimentalmente em Curitiba desde janeiro. Coordenado pela Fundação de Ação Social, o condomínio é destinado a apoiar pessoas em situação de rua que, como Francisco, buscam reconquistar a autonomia e reintegrar-se à sociedade e ao mercado de trabalho.

“Às vezes ficávamos na rua, perambulando, sem lugar pra ficar. E agora temos o Condomínio. Nossa casa, nossa cama fixa, como procurar nosso trabalho. É um renascimento. Eu nem acredito no quanto minha vida mudou em tão pouco tempo”, disse Francisco, diante do prefeito Gustavo Fruet, da ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, da presidente da FAS, Marcia Oleskovicz Fruet, e de dezenas de servidores da FAS,além de outras pessoas que acompanharam a solenidade.

Pioneira no Brasil, a República Condomínio Social tem atualmente 37 moradores, todos já com emprego formal ou em vias de iniciarem suas atividades. Todos recebem acompanhamento psicológico. A ideia é que a gestão do condomínio aconteça de maneira compartilhada e por isso, até o regimento interno está sendo construído em parceria entre os servidores da FAS e os moradores.

“É uma ruptura na trajetória da pessoa em situação de rua. Os moradores assumem responsabilidades e recuperam capacidades perdidas. Estamos apostando na vida, e não na gestão da miséria”, disse Marcia Oleskovicz Fruet.

De acordo com ela, o Condomínio Social tem como objetivo ser a última etapa no acolhimento e na trajetória de recuperação da pessoa em situação de rua. “Nossas unidades hoje atuam na abordagem, abrigamento e auxílio desta população. Mas sabíamos da necessidade de acompanhamento individual, diário e de criar a estrutura necessária para que as pessoas pudessem retomar a autonomia”, disse.

O prefeito Gustavo Fruet destacou o caráter inovador do  projeto. “Este projeto é parte de um conjunto de ações adotadas pela FAS na prevenção e atendimento da população em situação de vulnerabilidade social. Trabalhar por uma cidade mais humana também é inovação, é desenvolvimento. Que possamos contar cada vez mais histórias de recomeço”, disse Fruet.

Investimento

A solenidade de lançamento aconteceu no Salão de Atos do Parque Barigui. Em seguida, a ministra Tereza Campello, acompanhada da secretária nacional de Assistência Social, Denise Colin, fez uma visita ao Condomínio Social e conheceu os moradores e a estrutura, montada em um antigo seminário localizado em um terreno com mais de 2 mil metros quadrados.

“Em geral a área social é a primeira variável de ajuste nos orçamentos. Por isso, Curitiba está de parabéns por ter tido a coragem de mostrar que a assistência social é investimento, é mudança, é crescimento. O projeto do Condomínio Social dá oportunidade para que a pessoa em situação de rua busque mais, uma vida melhor. Que seja um exemplo e um estímulo para todo o País”, disse a ministra.

O condomínio tem 18 apartamentos (com ou sem banheiro) com camas, guarda-roupas e cômodas. Há também espaços de convivência, cozinha comunitária, biblioteca e espaço ao ar livre. A limpeza e organização do Condomínio é feita pelos próprios moradores, em sistema de escala.

Os moradores do Condomínio são pessoas atendidas pelos serviços de acolhimento da FAS e foram selecionadas por se encontrarem em condições de autocuidado e de mobilização para o trabalho. “Muitas pessoas em situação de rua foram dependentes químicos e por isso é feito um acompanhamento psicológico de todos os moradores para evitar casos de reincidência”, diz a superintendente de planejamento da FAS, Jucimeri Silveira.

A ideia é que a pessoa encaminhada de outros equipamentos para o Condomínio Social permaneça no local por no máximo dois anos. Durante este período, a equipe do Condomínio fará todo o acompanhamento e também auxiliará para que o morador dê entrada na documentação necessária para financiar sua moradia definitiva através da Cohab. “Ou seja, o Condomínio realmente torna-se um local intermediário, que prepara e dá todo o apoio nesta caminhada”, afirma Marcia Fruet.

Segundo a supervisora da FAS na regional Santa Felicidade, Maria Tereza Gonçalves, “no momento em que os moradores chegam ao Condomínio, percebemos muita desconfiança. São pessoas que já passaram por muitas negativas na vida e acompanhar essa trajetória de mudança é recompensador. Hoje vemos a empolgação e escutamos planos para o futuro”, diz.

Também participaram do lançamento o deputado federal Dr. Rosinha, e os vereadores Jonny Stica e Professora Josete.

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Seja o primeiro a comentar Assunto: "Curitiba inaugura o primeiro Condomínio Social do País"

Deixe um comentário

Translate »