Durante trabalho, motoboy distribui agasalhos para moradores de rua

maicon_1
Visualizado 1.746 vezes

Maicon Sandreto, de 25 anos, sempre veste duas blusas para doar uma.
Ele estima, que em dois meses, mais de 25 pessoas foram ajudadas.

Entre uma entrega e outra, o motoboy Maicon Sandreto, de 25 anos, encontra tempo para prestar solidariedade. No serviço, pelas ruas de São José dos Campos (SP), ele mantém o olhar atento aos mais necessitados e faz paradas para oferecer agasalhos a pessoas carentes moradores de rua. Antes de sair de casa para trabalhar, ele veste pelo menos duas blusas, sendo uma delas para ser doada. Ele estima que em dois meses mais de 25 pessoas foram ajudadas pela ação.

O gesto de solidariedade começou em maio, quando ele estava aguardando para fazer uma entrega em uma lanchonete que trabalhaba no Vila Tatetuba, na zona leste da cidade. Ao ver um morador de rua passando em frente ao estabelecimento ele ofereceu um lanche.

“Perguntei se ele estava com fome e ele aceitou um lanche. Enquanto comia, percebi que ele estava tremendo. Mandei uma mensagem para um grupo da minha família no whatsapp perguntando se alguém poderia doar alguma. Como demoraram para responder, eu dei uma das que eu estava usando. Estava bem frio no dia”, contou.

Ele estima, que em dois meses, mais de 30 pessoas foram ajudadas (Foto: Arquivo Pessoal/Maicon Sandreto)
Ele estima, que em dois meses, mais de 30 pessoas foram ajudadas
(Foto: Arquivo Pessoal/Maicon Sandreto)

Como o morador de rua ficou agradecido e feliz com o gesto, eles tiraram uma foto e Maicon postou em uma rede social. A partir disto, amigos e familiares começaram a oferecer agasalhos para que ele pudesse continuar ajudando outras pessoas.

Atualmente, ele trabalha fazendo entregas para o Gaac e também para um restaurante. Ao encontrar alguém passando frio, ele retira uma das blusas de frio que está vestindo e entrega a quem precisa.

“Como eu faço entrega em toda zona leste, acabo ajudando moradores de rua de vários bairros. Depois que entreguei para o primeiro, não quero ver mais ninguém mais passando frio. Ainda mais que este ano está mais frio ainda”, contou.

Ação
O motoboy conta ainda que pretende continuar a ação até o fim do inverno e incentiva a participação de colegas nos atos voluntários. “Nesses dias, juntei alguns amigos e saímos para oferecer roupas. Quando descubro onde os desabrigados vivem, levamos até um kit com tênis, meia, camiseta, calça, blusa e cobertor”, disse Maicon.

A motivação para manter as entregas durante o trabalho é a reação de quem recebe a ajuda. “Eu sempre pergunto se quer ser ajudado, porque vai que a pessoa não goste. Mas quase todo mundo fica feliz, esses dias um até me abraçou. Dinheiro não posso dar porque não tenho condições, mas assim consigo melhorar um pouquinho da vida deles. E eles reconhecem, é gratificante”, concluiu.

O motoboy conta ainda que pretende continuar a ação até o fim do inverno (Foto: Arquivo Pessoal/Maicon Sandreto)
O motoboy conta ainda que pretende continuar a ação até o fim do inverno (Foto: Arquivo Pessoal/Maicon Sandreto)
Fonte: http://g1.globo.com/
Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »