Empresário de Niterói é indicado ao Prêmio Nobel da Paz

Visualizado 201 vezes
Empresário de Niterói é indicado ao Prêmio Nobel da Paz
Avalie este conteúdo

Luiz Gabriel Tiago,de 39 anos, é idealizador pela rede de solidariedade Pontinho de Luz.

Niteroiense de Várzea das Moças, o turismólogo Luiz Gabriel Tiago, de 39 anos, teve a vida transformada no início do mês por uma notícia com a qual jamais foi capaz de sonhar: a indicação ao Prêmio Nobel da Paz de 2018. A recomendação é fruto dos sete anos de atuação da Pontinho de Luz, sua empresa social, responsável pelo “Treinamento Gentileza”, um programa pago, com 22 horas de duração, dedicado a promover a empatia. Quem passa pela formação tem acesso à Pontinho de Luz, uma rede de solidariedade que conta com 35 mil pessoas, responsáveis por ações sociais realizadas no Brasil e no exterior com os recursos arrecadados por treinamentos e doações.

A iniciativa é inspirada na atuação do Profeta Gentileza. De sua referência, Pedro Gabriel Tiago tirou também um nome profissional: Senhor Gentileza, com o qual é encontrado nas redes sociais. Ele explica que, até 2010, conduzia as pesquisas que resultaram no conteúdo do programa “Treinamento Gentileza” e ministrava palestras, quando se sentiu obrigado a fazer algo mais prático para interferir na realidade.

“O tema gentileza sempre esteve muito presente em minha vida, mas era incoerente eu falar tanto nisto e não fazer nada. Pensei em fazer uma ONG, mas isso limitaria minha atuação, porque eu precisaria também de um meio de sobrevivência. Foi quando conheci o conceito de empresa social, que propõe um negócio e faz a roda da solidariedade girar a partir dele. Este tipo de iniciativa ganhou muito impulso em 2005, quando o Prêmio Nobel de Muhammad Yunus reforçou a importância dos negócios sociais. Ainda estou muito surpreso com toda essa repercussão sobre a indicação para o prêmio Nobel. Isto é maior do que qualquer coisa que pude imaginar”, afirma.

Rede de solidariedade

Nesses sete anos de atuação, a Pontinho de Luz coleciona feitos relevantes: já arrecadou 500 toneladas de alimentos para doação a famílias carentes, promove doações mensais de cestas básicas no Rio e em São Paulo e ações solidárias, como abraços públicos e distribuição de doces em frente à estação das Barcas, no Centro de Niterói. A cidade continuapresente no cotidiano da empresa social: sua sede fica na casa onde Luiz Gabriel Tiago cresceu, em Várzea das Moças.

As pesquisas do empresário resultaram no livro “Gentileza no Trabalho”, publicado em 2009. Embora seja destinado a propósitos variados, seu treinamento tem maior procura por empresas que pretendem melhorar o relacionamento interpessoal entre funcionários e colaboradores diversos.

“No treinamento, o público é estimulado a se colocar no lugar do outro, para viver angústias e alegrias. Graças a ele,temos condições de ajudar asilos, orfanatos e vítimas de enchentes. É a maior fábrica de gentileza do mundo”, comemora orgulhoso o apaixonado pela Viradouro que, nas horas vagas, gosta de andar de patins no Caminho Niemeyer e de ver o por do sol na Praia de Itaipu.

A história de Pedro reúne também momentos de dificuldades financeiras, enfrentadas entre a adolescência e o início da vida adulta. Para poder cursar um pré-vestibular, vendeu cafezinho na Praça XV, no Centro do Rio, e foi office boy. Foi nesta épocaque se tornou mais sensível para as necessidades da camada mais humilde da população. Por isto, garante não ligar para o rótulo de assistencialista.

“Há quem nos critique por dar o peixe, acham que deveríamos ensinar as pessoas a pescar. Mas dar o peixe é o que eu sei fazer, e continuarei fazendo. Não posso ficar apenas no plano teórico porque, enquanto isto, as pessoas têm necessidades, sentem frio e fome”, explica.

O resultado do prêmio está previsto para o fim do ano que vem. Até março, a Academia Sueca, responsável pela organização do evento, deverá divulgar uma lista com os finalistas. Atualmente, há também uma brasileira indicada: a farmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes. Vítima de agressões do ex-marido que, sua atuação em defesa das mulheres resultou na lei federal 11.340/06, popularmente conhecida como Lei Maria da Penha, destinada ao combate à violência familiar. Nunca um brasileiro venceu uma edição fo Prêmio Nobel.

Fonte: Gazeta Online

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »