Estudantes se mobilizam para revitalizar posto de saúde

curando-a-saude-destacada-600x400_c
Visualizado 411 vezes

Jovens querem melhorar condições para atendimento de pacientes em Camanducaia (MG).

Pintura da fachada, reforma dos bancos, troca de grades e um mutirão de limpeza. Essas foram algumas das ações realizadas pelos estudantes do 2º ano do ensino médio do Centro Educacional Maranatha, de Camanducaia (MG), que se mobilizaram para revitalizar a estrutura externa da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro e, consequentemente, melhorar as condições para atendimento dos pacientes.

No projeto “Curando a saúde” os 25 estudantes foram do planejamento até a execução das melhorias, mobilizando outras pessoas da comunidade e colocando a mão na massa para dar uma nova cara à UBS. Para viabilizar a iniciativa, o grupo conseguiu o apoio de comerciantes para pagarem a manutenção do local, chamaram a atenção da Prefeitura para a situação precária do posto e transformaram o espaço em um lugar mais acolhedor para seus pacientes. Os alunos criaram, também, uma página no Facebook com o objetivo de divulgar as ações do projeto e mobilizar mais participantes.

Ação coletiva

Provocados pela professora de filosofia e sociologia, Renata Stort, a partir do material de apoio do Criativos da Escola, os estudantes refletiram sobre qual era o problema que mais os incomodava na comunidade. Bastou lembrar da estrutura da UBS que fica à frente da escola: “vemos o posto de saúde todos os dias e muita gente da cidade utiliza os serviços dele”, explica a aluna Beatriz. (Clique aqui e acesse o Material de Apoio do Criativos da Escola).

Já a integrante do grupo Maria Clara Canuto descreve as condições da UBS antes da ação dos estudantes: “a pintura das paredes estava velha, as portas das entradas enferrujadas, os portões estavam perdendo a tinta e o estacionamento não tinha faixas para os carros se posicionarem”. Antes de elaborarem um plano de ação para resolver o problema, a equipe fez várias visitas ao posto e entrevistou 30 pessoas, entre pacientes, funcionários da área de saúde e seguranças. Depois de se reunirem com a coordenadora do local e finalizarem o diagnóstico, concluíram que a demanda mais urgente trazida pelos entrevistados era a revitalização do espaço físico, já que quem frequentava sofria com os problemas estruturais do lugar.

Após a revitalização, os jovens voltaram à UBS para averiguar as mudanças na relação dos pacientes com o espaço. “As pessoas estavam usando locais onde antes não entravam. Percebemos a relevância de proporcionar um ambiente público mais acolhedor e, mais do que isso, de mostrar que podemos fazer mudanças naquilo que é nosso”, descreve Maria Clara.

Para além da ação no bairro, segundo Beatriz, o projeto “Curando a saúde” abriu portas para uma nova fase de protagonismo dos estudantes sobre as questões do ambiente escolar e seu entorno: “depois que nosso projeto deu certo, a escola está aceitando as propostas de alunos para novas ações”. “É uma oportunidade muito valiosa para o estudante questionar o seu papel [na sociedade] e ver o que pode fazer diante de um mundo que está à espera de mudanças significativas”, conclui a colega Maria Clara.

Fonte: Criativos da Escola

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »