Ex-pacientes de leucemia regravam campanha de doação de medula depois de curados

Visualizado 500 vezes
Ex-pacientes de leucemia regravam campanha de doação de medula depois de curados
Avalie este conteúdo

Campanha promove o otimismo no tratamento e mostra a vida das pessoas voltando ao normal.

Cinco anos depois de gravarem um vídeo para estimular a doação de medula óssea, um grupo de ex-pacientes curados de leucemia se reencontraram no mesmo hospital, em Curitiba, para regravar a campanha. Em 2012, quando o primeiro vídeo foi feito, todos os pacientes estavam internados no Hospital Nossa Senhora das Graças fazendo tratamento e na nova versão aparecem curados.

Kauanny Falavinha descobriu que tinha leucemia no mês do seu aniversário de 12 anos e precisou fazer dois transplantes de medula óssea. O primeiro veio de um banco de doadores dos Estados Unidos e tinha 75% de compatibilidade, mas acabou não dando certo. A menina recebeu, então, uma doação da mãe, que tinha 50% de compatibilidade. O transplante deu certo e Kauanny está prestes a completar 17 anos.

 — A cura é possível sim e agora eu estou aqui para passar essa mensagem. Quando uma pessoa faz doação de medula óssea ou de sangue e plaquetas, ela não está salvando só uma vida, mas também a da família e de todos ao redor. É muito importante e 15 dias depois volta tudo ao normal no corpo do doador — alertou.


Aos 34 anos, Angelita Alvez ficou seis meses internada para se tratar da leucemia mieloide aguda. Ela tinha indicação para receber um transplante de medula óssea, mas não encontrou doador e precisou de doação de sangue de 100 pessoas.

— Graças a Deus a quimioterapia acabou funcionando e deu tudo certo. No dia que eu gravei o primeiro vídeo estava com febre, mas estava menos pior do que nos outros dias. Foi maravilhoso participar. Falta muita informação do que é a doação, de dor… Quero fazer essas informações chegarem ao máximo de pessoas porque se os bancos estiverem lotados de cadastros, a gente vai ter uma segunda chance para quem tem a doença — disse, emocionada.

Com “Stronger” da cantora americana Kelly Clarkson que diz “o que não te mata te faz mais forte” como fundo musical, o vídeo feito em 2012 foi inspirado em uma campanha realizada com pacientes do Seattle Children`s Hospital, nos Estados Unidos. A ideia do segundo vídeo era mostrar como a doação de sangue e de medula óssea é importante no tratamento da leucemia.

Fonte: Extra
Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »