O supermercado social que só vende comida que iria para o lixo (pelo preço que clientes puderem pagar)

lixoo-comida
Visualizado 1.037 vezes
O supermercado social que só vende comida que iria para o lixo (pelo preço que clientes puderem pagar)
Avalie este conteúdo

Quilos e mais quilos de comida (boa!) sendo desperdiçados todos os dias, enquanto pessoas e mais pessoas passam fome por aí. Qual o sentido disso?

Cansados de assistir a essa situação incoerente (para dizer o mínimo), a galera do The Real Junk Food Projectiniciativa que realiza periodicamente campanhas em prol do combate ao desperdício de alimentos no Reino Unido – resolveu ir além do discurso e colocar a mão na massa.

Comandados por Adam Smith, eles abriram um supermercado social na cidade de Pudsey, que funciona no estilo Pay As You Feel (Pague O Quanto Puder, em português). Na prática, quer dizer que os consumidores vão às compras e, quando chegam ao caixa, oferecem a quantia que têm para levar os alimentos para casa.

Quem não tem dinheiro algum também pode ser cliente e, em troca dos produtos escolhidos, oferecer tempo ou habilidades ao supermercado. Tarefas não faltam! Entre outras funções, o estabelecimento precisa de faxineiros, motoristas e pessoas para dispor as mercadorias nas prateleiras.

Mas o que é vendido no supermercado afinal? De tudo um pouco! E nunca a mesma coisa! Isso porque o estabelecimento oferece comida (boa!) que seria jogada no lixo por supermercados convencionais e outros estabelecimentos que lidam com comida, como restaurantes.

A ideia está fazendo tanto sucesso em Pudsey que os idealizadores pretendem expandi-la para outras cidades do país. As próximas da lista são Sheffield e Bradford.

No Reino Unido, cerca de 600 mil toneladas (!) de comida são jogadas fora todos os anos, enquanto aproximadamente um milhão de habitantes se encontram em situação de risco e dependem de bancos de alimentos para comer.

Uma excelente ideia para combater o problema, não?

Foto: Reprodução/Facebook

Fonte: Thegreenpost

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »