Smartphone com bateria recarregável em 5 minutos pode chegar ao mercado em 2018

Visualizado 299 vezes
Smartphone com bateria recarregável em 5 minutos pode chegar ao mercado em 2018
Avalie este conteúdo

Smartphones com baterias que podem ser carregadas por completo em apenas cinco minutos podem estar disponíveis para os consumidores no ano que vem.

A novidade foi apresentada pela primeira vez em 2015, quando a start-up de Israel StoreDot fez uma demonstração seu “FlashBattery” no CES Tech Show, uma feira comercial do mercado de tecnologia, em Las Vegas.

O CEO da empresa, Doron Myersdorf, contou à BBC que a bateria deverá entrar em produção de grande escala no início de 2018. O prazo é visto com ceticismo por analistas do setor, mas o executivo diz que já está em curso um projeto-piloto em duas fabricantes asiáticas de baterias.

As primeiras versões da bateria eram mais grossas do que a maioria das usadas em smartphones. Myersdorf, no entanto, afirma que as versões atuais atenderão às exigências mercadológicas. Ele não quis revelar quais fabricantes de smartphones usarão a tecnologia.

“Nós vamos carregar um smartphone em cinco minutos”, garante.

Segundo o executivo, a bateria produzida por sua empresa contém materiais que permitem reações “não tradicionais” e uma transferência inusitadamente rápida de íons de um ânodo para um cátodo – o processo elétrico que carrega uma bateria.

O design envolve nanomateriais, que são estruturas minúsculas e compostos orgânicos não nomeados.

Ceticismo

O analista de tecnologias Ben Wood, da consultoria CCS Insight, ainda não está convencido de que seja possível realizar o lançamento do produto no prazo estipulado. Mas admite que, se a bateria funcionar como prometido, representará um grande avanço para a indústria de tecnologia.

“Arriscar com tecnologia de bateria é algo que pode te trair”, disse ele à BBC. “A experiência me ensinou a sempre permanecer cético.”

Ele apontou, por exemplo, que qualquer design que gere muito aquecimento pode impactar a performance da bateria.

No entanto, explica que quem conseguir “resolver” o “problema da bateria” dos smartphones pode ter um efeito transformador nos eletrônicos de consumo.

Fonte: BBC

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »