Veja porque esta ‘ecoaldeia’ serve de exemplo para muitas comunidades

ecoaldeia-ecod
Visualizado 652 vezes

Visitamos a Ecoaldeia Isla Santay, localizada nos arredores da cidade de Guayaquil, no Equador. A incrível história de transformação e preservação desta reserva ambiental serve de exemplo para muitas outras comunidades, veja por quê:

As alterações na localidade já são percebidas desde o acesso por suas pontes de madeira e alumínio – que separam os passantes dos siris no mangue – feitas para facilitar o deslocamento dos moradores e a visita de turistas.

A TRAVESSIA

Antes, vamos passar algumas dicas: para chegar até a ilha, você precisa pegar um Metroquil (sistema de ônibus integrado de Guayaquil) e descer na estação “Barrio Bicentenário”. Feito isso, você se dirige à entrada da ponte que liga as duas partes e opta por fazer o percurso em bicicleta ($4 adulto) ou ir caminhando (grátis ). Todo o percurso leva aproximadamente 45 minutos (a pé). A manutenção é feita pelo governo de Guayaquil (cuja logo dá até pra ver na foto, a espiral colorida). Ou seja, passeio grátis, museu grátis e segurança garantida.

O dia da nossa visita não era uma manhã tão ensolarada, o que ajudou com a travessia, mas geralmente Guayaquil é muito quente. Recomendamos uso de protetor solar, água e boné/chapéu.

A ECOALDEIA SANTAY

A história conta que a Ecoaldeia Santay foi criada como iniciativa do governo equatoriano em 2011, com o objetivo de estabelecer o uso sustentável da ilha, beneficiando assim, 56 famílias indígenas compostas por 235 pessoas.

A Eco-Vivenda, como é chamada, conta com espaço para sala, cozinha, dois quartos, banheiro, serviço de água potável, sistema sanitário e energia fotovoltaica – através de painéis solares.

aldeia2-ecod.jpg

O lugarejo ainda se beneficia de serviço de educação e atenção médica gratuita, centro de coleta de materiais recicláveis e de tratamento de água.

Para gerar recursos, os moradores da EcoAldeia integram a “Associação de Serviços turísticos San Jacinto de Santay”, que administra as atividades econômicas gerais, tais como: estacionamento de carro e bicicleta, aluguel de bicicleta para travessia, transporte fluvial, artesanato, alimentação e hospedagem em confortáveis cabanas ecológicas para turistas (os recursos gerados por estas atividades econômicas são revertidos para melhorias das condições de vida dos moradores).

aldeia3-ecod.jpg

CROCODILEIRA

Quase extinta, a espécie preservada é fruto do trabalho governamental que abrigou o último macho com outras 11 fêmeas que foram doadas por zoológicos. A partir daí, a espécie vem se reproduzindo em um cativeiro especial construído na reserva ecológica.

aldeia4-ecod.jpg

Antes de chegar ao viveiro, foi construído também um espaço interativo para contar detalhes, curiosidades e informações gerais sobre as espécies de animais pertencentes à aldeia que vão desde o próprio crocodilo a caranguejos, garças e outros pássaros.

aldeia5-ecod.jpg

CURIOSIDADES

Visita de Simón Bolivar – O primeiro visitante ilustre da Ilha foi Simón de Bolívar (libertador da Venezuela), que permaneceu em uma casa de campo por volta de duas semanas para assinar o tratado de Guayaquil. Em agosto de 2014 foram comemorados 185 anos desta visita.

Vista aérea da ilha – Pela imagem é possível notar a imersão da aldeia com a natureza.

aldeia6-ecod.jpg

Vídeo – Um vídeo mostra todas as transformações da aldeia depois das medidas governamentais – o áudio está em espanhol, mas é possível ver alguns pontos narrados no post. Confira:

(Por Eduardo Melo e Luma Pinto, do Bem Trilhados)

Fonte: http://www.ecodesenvolvimento.org/posts/2016/posts/janeiro/veja-porque-esta-ecoaldeia-serve-de-exemplo-para#ixzz40zKSTqw1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Seja o primeiro a comentar Assunto: "Veja porque esta ‘ecoaldeia’ serve de exemplo para muitas comunidades"

Deixe um comentário

Translate »