A pouco conhecida praia de areia roxa do Canadá

Compartilhe Boas Notícias

A última vez que Candice LaFaver viu os grãos de areia roxos às margens do Candle Lake, um lago de água doce no Canadá, foi em 2018.

Em julho daquele ano, ela e a família passeavam de barco pelo lago localizado no norte de Saskatchewan, quando avistaram uma praia deserta – ela mal podia acreditar no que estava diante de seus olhos.

Perto da margem a nordeste do lago, em uma área que só é acessível de barco, LaFaver notou uma faixa espessa de areia de cor vibrante, envolvendo a costa como um laço de fita em um presente.

“Eu não via essa faixa há muito tempo”, lembra LaFaver, que trabalha como gerente do Parque Candle Lake, uma área de 78 quilômetros quadrados protegida pelo governo que se tornou um refúgio para os amantes da natureza.

“Em alguns anos, você só consegue ver quando chega até lá. Em outros anos, apenas uma faixa aparece”, explica.

Aquela faixa em particular, acrescenta ela, media cerca de 60 cm de largura e abrangia todo o comprimento da praia – era uma das maiores que já tinha visto.

Há 25 anos, LaFaver mora na pequena vila resort de Candle Lake, uma comunidade de 850 pessoas que vive dentro das fronteiras do parque. Ela sabe bem como a tonalidade e a extensão da faixa de areia variam de acordo com as correntes e as estações do ano.

Então, naquela tarde, presumindo que no próximo ano talvez a praia não aparecesse da mesma maneira, LaFaver e a família aproveitaram a oportunidade.

“Descemos do barco e passamos o dia todo lá”, conta.

“Não sabia quando iria ver (a praia) tão bem ao longo de toda a costa [novamente]”.

Conhecida simplesmente como Praia da Areia Roxa, essa extensão isolada de areia ficou famosa em todo o Canadá por sua impressionante estrutura geológica.

Os grãos de areia podem surgir em uma variedade de tonalidades, que oscilam de lavanda a magenta e, às vezes, até rosa. E podem aparecer salpicados pela costa, como pinceladas de um artista, aglomerados em rochas e sob a superfície da água nas partes rasas do lago.

Ver esse fenômeno natural pessoalmente se tornou motivo de peregrinação para naturalistas, geológicos e turistas de fora da cidade, que chegam o ano todo na esperança de ver os grãos de areia roxos, antes de serem arrastados pela própria água ou desaparecerem debaixo da neve.

“Você não acredita que é de verdade”, diz Debbie Hunter, de 64 anos, moradora de Candle Lake, que reside perto da praia de Minowukaw, uma das áreas do parque destinadas ao camping.

Após uma forte tempestade, que provocou a formação de grandes ondas, Hunter viu vestígios de areia roxa se espalhar por toda essa área, que faz fronteira com a floresta do parque.

Alguns moradores relataram, inclusive, ter visto os grãos coloridos ao longo das margens do Torch Lake, um lago menor que alimenta o Candle Lake, mas não na mesma intensidade ou quantidade abundante.

Onde quer que seja, acrescenta Hunter, “é difícil acreditar que exista areia roxa”.

“É bizarro, de verdade.”

Cores diferentes

Embora no imaginário popular a areia roxa possa remeter a um conto de fadas, existe uma explicação geológica para tal. De acordo com Kevin Ansdell, professor de geologia da Universidade de Saskatchewan, todas as praias devem sua coloração aos minerais, rochas e conchas que compõem suas várias partículas de areia.

“Ao redor do mundo, há todo tipo de praia de cores diferentes”, explica Ansdell, cujo trabalho inclui ensinar sobre a diversidade de paisagens geológicas em Saskatchewan.

“Obviamente, a mais comum é a areia branca, que vem logo à cabeça. Normalmente, ela é formada por muitos grãos arredondados de quartzo.”

Como o quartzo é o segundo mineral mais comum encontrado na Terra, é por isso que tantas costas têm areia branca, acrescenta.

No entanto, branco não é a única cor para decorar um litoral. A Islândia e o Havaí, por exemplo, têm uma coleção de praias de areia preta, que devem seus tons escuros e taciturnos às rochas vulcânicas. E há outros exemplos em todo o mundo onde minerais e sedimentos transformaram corpos de água em paisagens surreais.

O Peyto Lake, no Parque Nacional de Banff, em Alberta, também no Canadá, deve sua cor turquesa aos sedimentos glaciais suspensos em suas águas; enquanto o Rio Amarelo, no oeste da China, que nasce na província de Qinghai, acumulou tanto lodo e sedimentos que suas águas foram tingidas de dourado.

A paisagem do norte de Saskatchewan deve, por sua vez, a coloração roxa a um mineral que existe no mundo todo, mas é encontrado em grandes quantidades no norte do Canadá.

“No caso das praias de areia roxa, como a de Candle Lake, (a cor se deve) provavelmente a um mineral chamado granada”, diz Ansdell.

Por milhares de anos, este mineral colorido e resistente, que apresenta uma variedade de tons, mas é visto principalmente na tonalidade vermelho escuro, foi descoberto em rochas do Escudo Canadense, região geológica que engloba grande parte do norte do Canadá.

Essa área rica em minerais se estende de Labrador, no leste, a Manitoba, no oeste, e em direção ao norte, até os Territórios do Noroeste, incluindo a maior parte do norte de Saskatchewan.

Os recursos naturais encontrados nesta vasta região se tornaram componentes valiosos da economia do país.

“No Escudo Canadense, de uma maneira geral, há uma abundância de depósitos minerais diferentes”, diz Ansdell a respeito do ouro, cobre, níquel e até diamantes frequentemente descobertos, além de minerais como granada.

Encontrada em rochas que datam de mais de um bilhão de anos, a granada é formada durante o metamorfismo, processo químico e mineralógico que acontece quando as rochas são soterradas no fundo da crosta terrestre à medida que as placas tectônicas se deslocam.

Por meio de vários processos, essas rochas alteram suas composições internas para se ajustar a pressões e temperaturas mais altas, explica Ansdell.

“Evidentemente, se você tem granada nas areias, a granada deve ter vindo de algum lugar”, diz ele.

“É quase certo que sejam das rochas metamorfoseadas no norte de Saskatchewan.”

Resquício da Era do Gelo

Essas rochas foram levadas do Escudo Canadense pela atividade glacial durante a Era do Gelo mais recente, que terminou há aproximadamente 12 mil anos, espalhando seu conteúdo por lugares como Candle Lake.

Com o tempo, as rochas foram fragmentadas e levadas rio abaixo por fontes de água doce, retrabalhadas pelas correntezas e por fim depositadas em um único local, acrescenta Ansdell.

Embora os moradores de Candle Lake talvez não conheçam todos os detalhes científicos sobre a origem do brilho de sua praia mais famosa, eles lembram como se sentiram ao vê-la pela primeira vez.

“Eu era apenas uma criança, devia ter uns 14 anos”, conta Hunter sobre o dia em que foi apresentada à areia roxa há mais de 50 anos.

Ela cresceu na cidade vizinha de Prince Albert e começou a visitar o lago antes de construírem uma estrada pavimentada.

“Se estivesse chovendo ou o tempo estivesse ruim… caramba!”, diz ela sobre a jornada de 80 km para visitar a família do marido, que tinha uma cabana na comunidade de Candle Lake.

Naquela época, sobretudo pescadores e caçadores eram atraídos pelas águas claras do lago, que abrigam muitas espécies de peixes, e pela abundante vida selvagem da região, como alces, ursos, lobos e veados.

Depois que uma nova rodovia foi construída em meados da década de 1970, ligando essa vila remota ao resto da província, a notícia se espalhou, e o Candle Lake logo se tornou um destino cobiçado durante o ano todo.

Em 1986, foi transformado em parque provincial pelo governo do Canadá, no intuito de “proteger as margens da floresta do norte e oferecer uma variedade de oportunidades de lazer em todas as estações do ano”.

Como muitos lugares nas regiões mais altas do hemisfério norte, o Candle Lake é um local de extremos. Durante o inverno, sua superfície cristalina se transforma em um campo de gelo.

Caminhonetes e barracas para a neve se misturam à paisagem, servindo de abrigo para os bravos pescadores que, mesmo quando a temperatura cai para -30°C, abrem buracos na densa cobertura de gelo para pescar o jantar.

Os moradores permanecem ativos jogando na liga de curling da cidade e ajudando vizinhos que precisam a remover a neve, diz Hunter, que atua como voluntária dos bombeiros e socorrista.

“As pessoas são muito amigáveis”, acrescenta. “É uma comunidade pequena, e parecem cuidar uns dos outros.”

No fim de abril, os dias mais longos e as temperaturas mais quentes colaboram para o degelo do lago e, em julho, as famílias começam a chegar de carro para comemorar o Dia do Canadá, a época mais movimentada do ano, quando cerca de 15 mil visitantes lotam a costa para comemorar o feriado nacional.

Não importa a época do ano, a praia de areia roxa e a beleza natural do parque atraem visitantes do mundo todo – e alguns acabam ficando por um bom tempo.

“Já viajei bastante, mas o trabalho me manteve aqui e fico muito contente com isso”, diz LaFaver.

“[Candle Lake] é um belo lugar para viver e trabalhar.”

Fonte: https://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2020/09/03/a-pouco-conhecida-praia-de-areia-roxa-do-canada.ghtml

Se curte nosso conteúdo, considere nos ajudar a manter o nosso trabalho diário no ar e continuar levando boas notícias a todos, através do https://mla.bs/d8cdcb20 😊

#jornaldeboasnoticias #boasnoticias #noticiaboa #goodnews #boasacoes #esperança #bonsexemplos #fazerobem #boanoticia #noticiapositiva

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »