Amigas recolhem brinquedos velhos e os transformam em novos

Visualizado 341 vezes
Amigas recolhem brinquedos velhos e os transformam em novos
Avalie este conteúdo

Com empenho e visitas diárias à central de reciclagem, elas recuperaram mais de 500 brinquedos para alegrar o Natal de crianças carentes.

No Paraná, o Jornal Nacional testemunhou duas brasileiras que optaram por acolher por ajudar.

Um desejo construído ao longo do ano todo.

“Foi no dia 6 de janeiro que eu comecei”, disse Margareth.

Virou missão para a artesã Margareth e para a melhor amiga dela, a confeiteira Márcia.

“Eu sabia que ia dar certo, porque quando a gente tem fé a gente consegue”, contou a artesã.

Para dar certo, as duas bateram ponto na central de reciclagem, todo dia garimpando a sucata de brinquedos que tinham ido para o lixo. E elas sempre voltavam para casa com caixas e mais caixas. Aí era escova, água e sabão. Em seguida, recolocar os pneus nos carrinhos, desvendar o quebra-cabeça de bracinhos e perninhas, costurar a roupa nova.

A Márcia detalhou o trabalho para a repórter Andressa Almeida:

“Tinha que reciclar para ver o que que dava para usar. Tirar as espumas de dentro das bonecas, lavar, depois tinha de consertar, pega uma perna aqui, uma perna lá, um braço. Foi assim que foi montando”, disse.

Rapidinho a sala da casa da Margareth se encheu de novas possibilidades prontas para alegrar a garotada.

“Tem muita criança que não ganha, não tem como o pai comprar. E foi da reciclagem que a gente conseguiu fazer tantos brinquedos, coisa linda. Perfeito. É como novo”, contou a artesã Margareth Rodriguez.

E depois de tanto empenho, o resultado: mais de 500 brinquedos recuperados. Nesta segunda-feira (10), a Márcia e a Margareth escreveram o capítulo mais bacana desta história. No dia em que o Papai Noel foi só assistente, a espera ansiosa terminou em sorriso.

E a importância do gesto foi reconhecida pelas crianças.

“É legal a atitude delas”, disse uma menina.

E pelos pais.

“Nossa, não tem palavras, não tem palavras”, afirmou uma mulher.

Que tal “solidariedade”, “generosidade”, “gentileza” saídas direto do dicionário de Margareth e de Márcia?

“Ver o amor que eu estou dando para as crianças. Eles estão dando o presente para mim e para Margareth. Para mim, o meu coração está cheio. Trabalho cumprido”, declarou a Márcia. Confira o vídeo da reportagem local.

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »