Carnaval de rua volta com tudo e reúne quase um milhão de foliões no Rio

Um dos mais cheios, Bloco da Preta homenageou às mulheres e reuniu 320 mil pessoas pelas ruas do Centro do Rio. Fantasias fizeram referências aos problemas com a água.

Quase um milhão de pessoas se divertiram no pré-carnaval no Rio no último fim de semana antes do carnaval, segundo a Riotur. O número (921.950 mil pessoas) é quase o dobro do mesmo período do ano passado, quando 500 mil pessoas se divertiram no carnaval de rua.

Um dos mais cheios, o Bloco da Preta, fez uma homenagem às mulheres e levou 320 mil pessoas ao Centro do Rio na manhã de domingo (16). Este ano, a cantora Preta Gil abriu o desfile no chão, com a regravação da marchinha de carnaval Ô Abre alas, de Chiquinha Gonzaga.

“Ô Abre alas que eu quero passar, ô Abre alas que eu quero passar, quem disse que eu não estou no meu lugar, quem disse que eu tenho que agradar”, cantou Preta.

Com uma fantasia que representa a ancestralidade e os orixás, a cantora usou uma roupa toda feita de crochê.

Também no Centro, o Fogo e Paixão animou 45 mil pessoas no Largo de São Francisco. Já o Suvaco do Cristo arrastou outras 35 mil pessoas por ruas do Jardim Botânico, na Zona Sul, e o bloco infantil Gigantes da Lira agitou um público de 4 mil pessoas por ruas de Laranjeiras, também na Zona Sul da cidade.

Banda da Barra, Empolga às 9 e Escravos da Mauá puxaram a lista dos blocos de pré-carnaval carioca na tarde e noite de domingo.

A tradicional Banda da Barra fez o seu 35º desfile e levou 30 mil pessoas para as ruas da Barra da Tijuca, na Zona Oeste.

O Empolga fez um desfile parado na Praia de Ipanema, com a participação do Afroreggae, que agitou 7 mil pessoas, segundo a Riotur.

A partir das 18h, o Escravos animaram 9 mil foliões na Gamboa. O tradicional bloco do Largo de São Francisco da Prainha desfilou com o tema “Samba da Alegria Resistente”.

A tradicional Banda da Barra fez o seu 35º desfile e levou 30 mil pessoas para as ruas da Barra da Tijuca, na Zona Oeste.

O Empolga fez um desfile parado na Praia de Ipanema, com a participação do Afroreggae, que agitou 7 mil pessoas, segundo a Riotur.

A partir das 18h, o Escravos animaram 9 mil foliões na Gamboa. O tradicional bloco do Largo de São Francisco da Prainha desfilou com o tema “Samba da Alegria Resistente”.

A tarde de domingo teve ainda atrações como o Pipoca e Guaraná, na Praça Xavier de Brito, na Tijuca, Zona Norte.

Também teve ensaio da Orquestra Voadora na Quinta da Boa Vista. O bloco desfila no dia 25 no Aterro do Flamengo.

No sábado (15), Céu na Terra, em Santa Teresa, e Chora Me Liga, no Centro, arrastaram 120 mil foliões pelas ruas da cidade.

Já o Simpatia é Quase Amor fez um desfile crítico na Praia de Ipanema, na Zona Sul. O bloco criou a marchinha “Não põe hora no meu bloco” aproveitando a polêmica sobre a mudança do horário do desfile proposto pela prefeitura este ano.

As fantasias, tanto as prontas, como as inventadas, fizeram referências aos problemas com a água. A Letra do Suvaco do Cristo e do Xupa Mas Não Baba fizeram sátira ao assunto.

O Imprensa que eu Gamo, que desfilou no dia 8 de fevereiro, também abordou os problemas com a água ao dizer que o “povo vai tomando no Guandu”.

Confira o público em alguns dos principais blocos do Rio:

  • Simpatia É Quase Amor – 150 mil
  • Chora Me Liga – 110 mil
  • Chá da Alice – 35 mil
  • Bloco Brasil – 11 mil
  • Céu Na Terra – 9 mil
  • Bloco da Preta – 320 mil
  • Fogo e Paixão – 45 mil
  • Suvaco de Cristo – 35 mil
  • Banda da Barra – 30 mil
  • Cordão do Boitatá – 18 mil
  • Escravos da Mauá – 9 mil
  • Se Não Quiser Me Dar, Me Empresta – 7 mil
  • Empolga às 9 – 7 mil
  • Gigantes da Lira – 4 mil

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »