Carreta oferece banho quente a moradores de rua em Praia Grande

Avalie este conteúdo

Iniciativa foi criada por membros de comunidade católica da cidade; pessoas recebem kit de higiene e refeição

Um ato de solidariedade vem aquecendo o inverno de pessoas em situação de rua em Praia Grande. Uma carreta de banho circula por bairros da cidade com água aquecida e roupas limpas para aqueles que sofrem com as baixas temperaturas. A iniciativa foi criada por voluntários de uma das paróquias da cidade.

O projeto “Amigos do Banho” surgiu no fim de 2017, mas foi inaugurado em novembro de 2018. Desde então, a carreta itinerante passa por bairros do município todas as quartas-feiras. Por dia, a ação consegue oferecer cerca de 30 banhos com água aquecida.

Cada pessoa recebe um kit de higiene, roupas limpas e, quando disponível, um cobertor. Após o banho, eles também ganham uma marmita com arroz, feijão, carne, além de pão e suco. Ao todo, cerca de 400 refeições são distribuídas e 100 banhos são tomados.

De acordo com o criador da carreta, Rubens Prado, a ideia de oferecer banho a moradores de rua surgiu após o hábito de sair à noite para ajudar quem precisa. “Fazemos refeições há dois anos, e tive a ideia ao conhecer a vida e as condições de higiene que essas pessoas apresentam. Pesquisei e consegui construir, com o apoio da igreja”.

O projeto foi criado com o aporte financeiro da Paróquia Santo Antônio, de Praia Grande. Mas, Rubens ressalta que, no dia a dia, não faz nada sozinho. Uma equipe formada por cerca de 15 membros das capelas Espírito Santo e Mãe de Deus prepara as marmitas e o ajuda no funcionamento da carreta de banho.

O gesto de solidariedade é prontamente devolvido por quem recebe essa ajuda. “Um homem voltou para nos agradecer, dizendo que, com o banho e a roupa nova, teve forças para voltar para a família e conseguiu arrumar um emprego”, lembra. 


Refeições são compostas por arroz, feijão, mistura, pão e suco (Foto: Rubens Prado/Arquivo Pessoal)

Ele explica que, apesar do gesto de amor, o preconceito ainda é uma barreira quando se trata de ajudar pessoas em situação de rua. “Às vezes, não saímos por falta de roupas, pois 90% dos que tomam banho são homens. Existe muito preconceito em doar roupas e alimentos, acham que estamos incentivando para que essas pessoas fiquem na rua”, lamenta.

Fonte: A Tribuna

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »