Celular que goiano perdeu no mar no RN é achado 2 anos depois e viaja 2,5 mil km para ser devolvido

Celular que goiano perdeu no mar no RN é achado 2 anos depois e viaja 2,5 mil km para ser devolvido
Avalie este conteúdo

Casal potiguar achou telefone funcionando, entrou em contato com o dono, um segurança de Aparecida de Goiânia, e mandou o aparelho pelos Correios: ‘É uma coisa que não é da gente’.

Um segurança de Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital, recebeu em casa o celular que havia perdido dois anos antes, em uma praia de Natal (RN), enquanto passava férias com a família. Kleiton Vieira Pereira ficou espantado quando sua esposa recebeu mensagem de um casal potiguar informando do ocorrido, dizendo que o aparelho estava funcionando e mostrando a intenção de devolvê-lo.

Kleiton lembra que perdeu o celular no dia 15 de abril de 2016. O telefone chegou pelos Correios no apartamento dele nesta semana, após percorrer mais de 2,5 mil km.

“Isso é uma prova que por pior que seja a situação ou como esteja, tem jeito, tem gente de bem no mundo. Tem gente que faz o bem sem olhar a quem, sem querer nada de volta, nada”, afirmou.

O vigilante lembra que era a primeira vez dele no litoral. Animado, ele foi todo empolgado tomar banho de mar até que…

“A onda bateu nas minhas costas, meu peito bateu nele [celular], ele saiu voando e eu fui atrás. Aí já era, foi embora”, conta.

Kleiton revê as fotos das férias no celular que tinha perdido durante as férias, há dois anos (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

Celular de volta

Quando o celular sumiu, estava dentro de uma capa a prova d’água. Porém, a família jamais imaginou que o aparelho estivesse funcionando ou ainda mais que fosse encontrado.

Até que um dia a esposa de Kleiton, a auxiliar administrativo Anna Flávia Félix, recebeu uma mensagem de texto em seu celular.

“Olá, encontrei um celular na beira da praia. Estou entrando em contato para devolver”.

Ela elogiou a atitude da família potiguar em procurar os verdadeiros donos do aparelho para entregá-lo.

“Eu gostaria, na realidade, que eles fossem vistos porque quem teve a hombridade em tudo foi da parte deles, de procurar, de correr atrás”, conta.

Boa ação

O casal que localizou o aparelho disse que em momento algum pensou em ficar com ele. Para o comerciante José Barbosa de Lima, ele viveria com a “consciência pesada” se não devolvesse o telefone.

“Desejo felicidades para eles por ter recuperado o telefone com umas fotos que ele ia mostrar para os amigos. Espero que ele goste. É uma coisa que não é da gente. Se fosse ficar com ele, ficava com a consciência pesada. E se alguém encontrasse um objeto seu e devolvesse você ia agradecer muito”, afirma.

A mulher dele, a dona de casa Riseuda Costa de Lima adotou o mesmo discurso. “Graças a Deus já está entregue nas mãos do verdadeiro dono. A gente se sente feliz. Espero que ele não se desfaça do celular, que fique a lembrança”, frisa.

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »