Elefante cego começa dançar ao ouvir música clássica tocada ao piano: Vídeo

Compartilhe Boas Notícias

Para a ciência, não há dúvidas do poder que a música exerce sobre nós seres humanos.

Impactando nossas emoções, comportamento e até mesmo saúde, a musicoterapia – ou seja, uma espécie de terapia baseada nos sons, ganha cada vez mais adeptos.

No entanto, parece que não é apenas os seres humanos que são influenciados pela música. Na última semana, uma cena se tornou viral na internet. O músico britânico – Paul Barton, levou seu piano para o meio de um santuário de elefantes e começou a tocar música clássica para um elefante cego chamado Lam Duan, que instintivamente começou a dançar.

No vídeo publicado pelo pianista, o artista explica que a gentil e velha elefante fêmea ficou cega a maior parte de sua vida. Hoje 62 anos, ela vive no ElephantsWorld, uma organização de proteção animal sediada em Wang Dong – na Tailândia. Até então pouco sabíamos que a música também fascina os animais, mas foi entã que ele então começa a tocar músicas clássicas suaves de Frédéric Chopin, Johann Sebastian Bach, Franz Schubert e Erik Satie.

Fã confesso de elefantes, a ideia surgiu quando ele fazia um vídeo para seu canal no Youtube. Porém, Lam Duan não é a única elefante a desfrutar do som do piano de Barton. Como é possível ver no vídeo, havia uma enorme quantidade de elefantes curtindo a performance do inglês.

Em entrevista ao site Coconuts Bangkok, Barton explicou que quase todos os elefantes reagem à música. Esta não é primeira vez que nos encantamos com uma cena do gênero. Em 2007, a cacatua Snowball virou febre no Youtube, com vídeos onde dançava ao som de hits do cantor Michael Jackson e da banda Queen.

Em uma recente pesquisa realizada por um grupo de cientistas da Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, foram mapeadas 13 emoções diferentes que as músicas podem causar em nós. Mesmo com tantas pessoas negando, a verdade é que temos muito mais em comum com os animais do que possamos imaginar!

Fonte: Hypeness

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »