Em vez de festa de aniversário, menina de oito anos pede para distribuir quentinhas a moradores de rua

A recepcionista Luciana Pacheco, de 38 anos, tomou um susto quando ouviu a filha de oito anos dizer que não queria comemorar seu aniversário, em fevereiro, com festa.

O passeio em família e o bolinho no shopping já estava planejado desde dezembro. Mas a pequena Adrielly pediu um presente muito melhor: ela queria distribuir quentinhas para pessoas em situação de rua. A iniciativa fez sucesso e viralizou nas redes sociais.

Foi a própria menina quem teve a ideia, ainda no ano passado. Moradora de Realengo, na Zona Oeste do Rio, a mãe conta que, no início, não deu muita bola para o desejo da filha:

— Pensei que era uma dessas cismas de criança. Mas ela continuou insistindo e vi que estava levando a sério.

À medida que se aproximava o grande dia, a ansiedade de Adrielly e de sua mãe também aumentava. Um dia antes do aniversário, no dia 10 de fevereiro, a recepcionista trabalhou em uma festa de aniversário cujo cardápio foi uma deliciosa feijoada. Ao comentar com a aniversariante do pedido inusitado da filha, a mulher não hesitou e doou todas as sobras do almoço para a dupla. Com o alimento, Luciana e a filha conseguiram montar 50 quentinhas.

— Tinha sobrado muita comida. Ainda completamos com mais coisas, compramos copinhos de guaraná natural e fomos para a rua — conta a mãe.

Quando viram a irmã pequena tão animada com o presente, as três irmãs mais velhas de Adrielly também se empolgaram e colocaram a mão na massa para ajudar. O carro que levaria a menina para o centro de Bangu ficou tão cheio com as quentinhas e as novas voluntárias que Luciana teve que chamar um Uber para que todo o mundo conseguisse ir.

Ao chegar ao calçadão de Bangu, a família encontrou outro grupo de voluntários, que serviam sopa aos moradores de rua. Juntos, fizeram um grande banquete, que terminou com um animado “parabéns para você” para a generosa aniversariante.

Emocionada, Luciana conta que um dos homens que ganhou a quentinha de Adrielly ficou tão feliz que deu até um presente de aniversário para a menina:

— Ele contou que é ambulante, mas não tem para onde ir, então dorme na rua. Quando minha filha se aproximou com o pratinho de feijoada, ele ficou tão contente que deu um par de brincos para ela. Até falei que não precisava, porque era o trabalho dele, mas ele insistiu — conta.

No ano que vem, Adrielly pretende comemorar o aniversário na rua outra vez, mas de outra forma. Ela já disse que vai passar o dia distribuindo ração para animais abandonados. E a família toda já embarcou na ideia.

— No fim do dia, ela virou e falou: “Mamãe, esse foi o melhor presente de aniversário da minha vida”. Na idade dela, as crianças querem brinquedos, festas… Mas ela decidiu ajudar quem precisa. E todos nós nos sentimos tão bem que vamos repetir ano que vem com certeza. Ela disse que agora é a vez dos cachorrinhos — diz Luciana, orgulhosa.

Fonte: Extra

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »