Embriões de rinocerontes feitos em laboratório podem salvar espécies em extinção

Embriões de rinocerontes feitos em laboratório podem salvar espécies em extinção
Avalie este conteúdo

O mundo ficou mais triste quando o último rinoceronte-branco-do-norte macho da terra morreu.

Desde então, restaram apenas duas fêmeas – e as possibilidades de salvar a espécie da extinção começaram a se tornar cada vez mais remotas.

No entanto, ainda há uma esperança: a fertilização in vitro!

Cientistas usaram esperma congelado de rinocerontes-brancos e óvulos de fêmeas da espécie para criar embriões que podem ser implantados em “mães de aluguel”. A notícia foi divulgada no início do mês através do respeitado periódico científico Nature.

Ainda é cedo para dizer se a técnica será de fato efetiva e poderá gerar novos espécimes. Segundo o NY Times, nos próximos meses os embriões deverão ser implantados em fêmeas de rinoceronte-branco-do-sul, uma subespécie dos animais que foram extintos. Se tudo der certo, o primeiro filhote gerado dessa maneira deve nascer nos próximos três anos.

Fonte: Hypeness

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »