Estudo mostra protagonismo feminino em alta no streaming em 2019/2020

Compartilhe Boas Notícias

De acordo com um relatório divulgado pela Universidade Estadual de San Diego, boa parte das produções originais distribuídas por plataformas de streaming entre 2019 e 2020 teve mulheres como protagonistas. Os dados, que são analisados anualmente, fazem parte do Estudo das Mulheres na Televisão e no Cinema.

Segundo os pesquisadores, cerca de 42% das produções disponíveis nos serviços de streaming dos Estados Unidos têm protagonistas femininas “claramente identificáveis”. É quase o dobro em comparação com os dados da televisão a cabo e aberta.

Eu Nunca..., da Netflix estreou em 2020. (Reprodução)
Eu Nunca…, da Netflix, estreou em 2020. Fonte:  Netflix

O estudo investigou mais de 4,1 mil personagens de diferentes programas, séries e outras produções. As análises também se concentraram em verificar os créditos de todas elas para saber com precisão quantas mulheres fizeram parte das equipes técnica e criativa.

Por meio dessas avaliações foi possível concluir que as produções originais lançadas diretamente nos serviços de streaming tinham mais probabilidade de ter protagonistas femininas na mesma medida que protagonistas masculinos. Nessas plataformas, há mais criadoras, diretoras, roteiristas, produtoras e editoras que em outros setores do audiovisual.

Em 2018, havia apenas 15% de diretoras, mas essa taxa subiu para 32% em 2020; o mesmo aconteceu na área de direção de fotografia, que foi de 3% para 17% em comparação do mesmo período.

Fleabag é encabeçada por Phoebe Waller-Bridge, que também protagoniza a série. (Reprodução)
Fleabag é chefiada por Phoebe Waller-Bridge, que também protagoniza a série. Fonte: Amazon Prime Video 

Entretanto, há um longo caminho a ser percorrido, já que a diversidade nessa área ainda é tímida. A porcentagem de personagens latinas, por exemplo, caiu de 6% para 5% nesta temporada, e a de personagens negras subiu de 17% para 20%. Cada vez mais veremos esses números mudarem.

Pelo relatório, também foi possível identificar que quando uma equipe criativa tem pelo menos uma mulher envolvida as personagens têm desenvolvimentos melhores. Essas figuras, inclusive, estão mais propensas a ter histórias que vão além dos estereótipos dramáticos familiares.

Vale ressaltar que as novas regras do Oscar, que pretendem adicionar mais diversidade à premiação e oportunidades para minorias, podem ajudar ainda mais a alavancar esses números nos próximos anos.

Você pode conferir o relatório completo, em inglês, aqui.

Fonte: https://www.tecmundo.com.br/minha-serie/177613-estudo-protagonismo-feminino-streaming-2020.htm

Se curte nosso conteúdo, considere nos ajudar a manter o nosso trabalho diário no ar e continuar levando boas notícias a todos, através do https://mla.bs/d8cdcb20 😊

#jornaldeboasnoticias #boasnoticias #noticiaboa #goodnews #boasacoes #esperança #bonsexemplos #fazerobem #boanoticia #noticiapositiva

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »