Ex-doméstica no DF consegue aprovação na OAB: “Realização de um sonho”

O caminho foi árduo, mas Cosma Anastácia do Nascimento, 46 anos, enfim, concretizou o sonho de se tornar advogada.

Ex-empregada doméstica, a bacharel em direito estudava desde novembro de 2018 para conseguir a almejada aprovação no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A notícia de que havia sido aprovada, após duas tentativas, veio na ultima terça-feira (10/09/2019).

Em março deste ano, uma matéria do site Metrópole mostrou a luta de Cosma para ser aprovada no certame. Em entrevista à reportagem, a advogada comemorou o feito: “Estava no supermercado e uma professora me ligou após ver meu nome na lista. Vários amigos me mandaram mensagem para dizer que eu tinha passado. Eu fiquei tão nervosa que acabei ficando afônica. Ainda está caindo a ficha”, disse.

Com a aprovação em mãos, a defensora traça planos para o futuro. E diz “sonhar com a magistratura”. “Ser aprovada é um sentimento que não consigo definir, mas que possui um significado muito grande para mim. É a realização de um sonho. Agora, tenho planos de fazer concurso público, sonho com a magistratura. O primeiro passo, porém, é advogar”, explicou Cosma.

Do Piauí a Brasília

Natural do Piauí, Cosma trabalhava como frentista no estado. Largou o emprego, os estudos e uma filha de apenas 10 meses de idade na cidade natal em busca do sonho de se tornar advogada. O local escolhido para pôr o desejo em prática foi a capital federal.

Quando chegou a Brasília, em 1997, Cosma se deparou com uma realidade diferente da que esperava encontrar. Como abandonou a escola e não encontrava emprego para se sustentar, voltou à sala de aula e concluiu o ensino médio aos 29 anos, em 2002. “Vim com dois objetivos muito claros na cabeça, que era estudar e trabalhar. Mas não foi bem assim”, conta.

Para ficar no Distrito Federal e financiar a graduação em direito, ela precisou encontrar um trabalho rapidamente. Depois de atuar como manicure, Cosma fez “de tudo um pouco”. A lista de empregos pelos quais passou inclui desde serviços como diarista, cozinheira, garçonete e doméstica até agente funerária.

A última ocupação, segundo lembra, a fez viver experiências marcantes. “Nunca tive medo de morto. Lá [na funerária], eu fazia de tudo. Atendia familiares, mostrava os planos, até ia para a clínica onde os corpos eram preparados para o velório”, disse.

Perto do sonho

No entanto, em um de seus vários empregos, Cosma pôde se aproximar da área jurídica e isso intensificou a vontade de se tornar advogada. “Quando trabalhei como doméstica na casa de dois desembargadores, pude acompanhar de perto a rotina deles, além de admirar a postura dos dois. Esse trabalho permitiu que eu retomasse um sonho que havia guardado na gaveta, foi algo muito importante pra mim”, explica.

A doméstica, então, decidiu “correr atrás do sonho de infância”. Aos 40 anos, ensinou uma lição valiosa para os filhos e se matriculou em direito na faculdade Fortium. Lá, cursou três semestres até conseguir transferência para o Instituto Público de Direito (IDP). Então, concluiu os estudos e formou-se bacharel em direito aos 45 anos, em novembro de 2018.

A área de direito penal é o campo em que ela almeja trabalhar. A influência veio do contato com a docente Cristiane Damasceno, responsável por ministrar a disciplina. “Minha afinidade e admiração por essa professora, com quem mais tive aulas, teve um peso muito grande na decisão. Vejo a advocacia como algo que tenho vocação e me abre outras portas. Posso dar aulas e até seguir uma carreira pública”, afirma Cosma.

Reality show

Para chegar à aprovação, a bacharel contou com uma ajuda especial. Ela teve, ao seu lado, nos estudos, o auxílio do advogado mais jovem do Brasil, Mateus de Lima Costa Ribeiro, que recebeu sua carteira na Seccional da OAB do DF em julho de 2018, com apenas 18 anos.

Brasiliense, filho de advogados e professores, Mateus começou a cursar direito na Universidade de Brasília (UnB) aos 14 anos. Antes mesmo de se formar, foi aprovado no Exame da Ordem. Ao lado da bacharel em direito, o jovem teve a ideia de criar o reality show “Quem quer ser um advogado?”, onde acompanharia a rotina de estudos de Cosma até o dia da prova. A tática deu certo. Hoje, a ex-doméstica é advogada. Com carteira e tudo o mais.

Fonte: Metrópoles

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »