‘Lixão’ vira horta comunitária cuidada por crianças e moradores em Araraquara, SP

‘Lixão’ vira horta comunitária cuidada por crianças e moradores em Araraquara, SP
Avalie este conteúdo

Projeto no bairro Residencial Maria Luiza começou há cerca de 1 ano e ensina os participantes a plantar. Hortoteca e aulas de maracatu e samba também são oferecidos no local.

Moradores e crianças do bairro Residencial Maria Luiza, em Araraquara (SP), transformaram um terreno baldio, usado como lixão improvisado, em uma horta comunitária. Além do plantio, o projeto “Horta Comunitária Zona Norte” também tem uma hortoteca com vários livros, além de aulas de maracatu e samba.

O projeto

A área verde, que pertence à prefeitura, é usada pela comunidade há pouco mais de um ano. Tudo começou com um mutirão de limpeza no local, que estava abandonado e com muita sujeira.

“Fiz um evento convidando alguns amigos e colaram umas 30 pessoas. Para se ter uma ideia, na primeira limpeza que fizemos saíram daqui 67 caminhões de lixo”, explicou o idealizador do projeto, Flávio Preto.

Hoje eles plantam e colhem vários tipos de verduras, frutas e hortaliças durante os domingos. “Isso mostra para as crianças que faz a diferença, a gente planta e come aquilo que colhemos”, contou a cabeleireira Rita de Cássia.

Pequenos agricultores

Cerca de 70 crianças do bairro participam da iniciativa. Antes de colocar a mão na terra, elas têm aulas sobre agroecologia e aprendem como plantar mudas de couve, alface, cenoura. Também são orientadas sobre a importância de comer alimentos saudáveis.

“Eu não comia berinjela e aqui eu aprendi a comer. Aqui a gente preserva a natureza”, disse a estudante Maria Clara de Souza, de 12 anos, que é voluntária na horta.

As crianças viram pequenas agricultoras e também contam com a ajuda dos pais. Todo fim de semana a diarista Jaqueline Santos Silva leva os quatro filhos.

“Eles aprendem coisas como plantar, cultivar, os benefícios dos vegetais e para o que aquilo serve. Tem ajudado bastante a economizar no mercado”, explicou a diarista.

Sustentabilidade e cultura

As crianças também aprendem sobre soluções sustentáveis. Durante a semana, elas acumulam o lixo orgânico que sobra em casa e quando chega o dia de cuidar da horta, elas depositam os restos em uma composteira, que vira adubo para o cultivo.

O local também recebe música e tem uma hortoteca, uma biblioteca na horta com vários livros infantis. As crianças podem ler e pegar obras emprestadas.

O idealizador conta que pretende ocupar outros espaços do terreno com novas ideias. A prefeitura diz que incentiva e apoia esse tipo de projeto. A administração ajudou com a limpeza e na liberação do ponto de água.

“A nossa proposta é fazer ocupação total do terreno com uma agroflorestal, que vai produzir recursos e alimentos. Na outra frente pretendemos fazer um pavilhão de cultura, trazer aula de capoeira, maracatu, circo, é fazer desse espaço um quilombo”, explicou Preto.

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »