Moradora de Cariacica transforma lixo em bonecas para doar no Natal

Compartilhe Boas Notícias

Chiquita costureira, como é conhecida, decidiu oferecer para outras crianças um fim de ano melhor do que os que ela teve um dia. Ela recicla bonecas e ursos de pelúcia, mutas vezes retirados do lixo, e transforma em brinquedos novinhos para doações

A infância pobre ao lado dos seis irmãos em Aimorés, Minas Gerais, não permitiu que Francista Monteiro Alves, de 67 anos, pudesse ganhar bonecas e brinquedos no Natal. Há 47 anos moradora de Santana, em Cariacica, Chiquita costureira, como é conhecida, decidiu que queria oferecer para outras crianças um fim de ano melhor do que os que teve um dia. Ela recicla bonecas e ursos de pelúcia, mutas vezes retirados do lixo, e transforma em brinquedos novinhos para doações. 

Francisca conta que apesar de ter costurado por toda vida, foi em 2016 que ela teve a ideia de reformar bonecas. Ao escutar de uma amiga sobre a felicidade de crianças quando recebem brinquedos de doações no Natal, ela decidiu que queria proporcionar sorrisos também. 

“Eu tinha muitos retalhos, arrumei algumas bonecas velhas, revirei até no lixo, consertei todas e doei 43 bonecas.  Foi quando eu pude ver os sorrisos das crianças e decidi que faria isso sempre, cada ano em uma comunidade diferente. Em 2018, fiz 111. Já em 2019, consegui bonecas em condições péssimas. Acho que por conta de chuvas e alagamentos.  Mas recuperei, mesmo as piores, e as deixei bem bonitas.  Entre ursos e bonecas, foram mais de 200 brinquedos esse ano. E ficaram como novos. Cerca de 30 já foram doados para crianças do bairro Soteco, em Vila Velha. Ainda tenho 180 em casa, que serão entregues em Novo Horizonte, Cariacica”, comemorou. 

DICAS PARA TRANSFORMAR BONECAS

Além da reciclagem, Francisca conta com doações para conseguir realizar o trabalho. Com todos os materiais nas mãos, ela divide algumas dicas de como transformar bonecas velhas em novas.

Primeiro ela tira todo o enchimento para lavar ou trocar por novos, se necessário, e depois retorna com o enchimento. Para apagar possíveis marcas de canetas, Francisca diz que já tentou de tudo, mas só viu eficácia em uma pomada para acnes.  Já os cabelos são desembaraçados com amaciantes e água morna. Os mais prejudicados são cortados e ganham chapéus ou turbantes. Em seguida, as bonecas são colocadas no sol. Por último, Chiquita escolhe bons tecidos e costura novas roupas. Pronto, bonecas e ursos novinhos!

“Elas ficam lindas! Adoro fazer esse trabalho, sinto muito prazer em vê-las se transformando. E fico mais feliz ainda em ver como as crianças ficam felizes. Eu olho e penso: ‘Nem parece que saiu do lixo’. Muitas vezes as meninas gostam mais das minhas bonecas do que dos brinquedos novos, que vêm de loja. Fazem muito sucesso”, comemora.

Perguntada quem a costureira acha que fica mais feliz com as bonecas, se são as crianças ou ela mesma,  Chiquita não pensa duas vezes. “Acho que sou eu”, diz aos risos, e completa: “Ver a reação das crianças ao ganhar uma coisa que veio do lixo me traz uma felicidade que não dá pra explicar. Faz tudo valer a pena”, finaliza.

Fonte: A Gazeta

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »