O campeão de MMA que perdeu a visão e hoje ensina outros cegos a se defender

O campeão de MMA que perdeu a visão e hoje ensina outros cegos a se defender
Avalie este conteúdo

Primeiro negro a ocupar o lugar mais alto do pódio na história do esporte na África do Sul, Ronald ‘Mamba Negra’ Dlamini teve de buscar um novo propósito na vida ao ficar cego.

O lutador Ronald Dlamini é conhecido também como “Mamba Negra”.

Ele diz que ganhou esse apelido porque, quando entrou para o MMA, o esporte era dominado por homens brancos – e também por causa de seu estilo “ágil e mortal”, já que a mamba-negra é uma das cobras mais rápidas do mundo.

Foi graças a esse talento que ele se sagrou campeão meio-médio de MMA sul-africano em 2009.

Dlamini tornou-se, assim, o primeiro negro a ocupar o lugar mais alto do pódio na história do esporte no país.

Mas sua vida mudaria radicalmente três anos depois.

Após voltar de uma luta na Nova Zelândia, na qual se saiu vitorioso, ele começou a sentir dores de cabeça muito fortes.

Diagnosticado com meningite, ele foi levado para o hospital, onde entrou em coma. Ao acordar, dez dias depois, estava totalmente cego. “Perdi a cabeça. Não sabia mais quem eu era. Joguei a culpa em Deus. Chorava muito por causa do que estava acontecendo”, diz o lutador.

Passado o primeiro momento de choque, Ronald decidiu voltar a estudar. Foi para a universidade cursar Transporte e Logística.

Ele também estava determinado a ajudar outras pessoas, e descobriu como fazer isso ao conhecer outras pessoas cegas.

Elas contavam a ele que haviam sido muitas vezes alvo de violência, vítimas de roubos e estupros.

Dlamini diz que que se deu conta então que tinha um novo objetivo em sua vida: ajudar pessoas com deficiência visual a se defenderem.

Ele hoje dá aulas de defesa pessoal baseado no que aprendeu como lutador de MMA, além de treinar iniciantes no esporte. “Quando você é cego, você se concentra no que você consegue ouvir, cheirar e tocar”, diz.

Então, pela respiração, ele consegue saber quando seu oponente está cansado ou fraco. Os passos indicam onde está o adversário.

Quando há qualquer toque com o oponente, ele consegue saber onde está o outro lutador e como golpeá-lo.

Ele considera o MMA perfeito para quem tem problemas de visão, porque é algo que envolve muito contato físico.

“Já fui alvo de muitos ataques”, diz Luthando, um dos seus alunos.

“Perdi telefones, dinheiro, fiquei sob a mira de uma arma. Mas, agora, se alguém tentar alguma coisa, posso me proteger facilmente.”

Ronald diz ter a esperança de encorajar e motivar outras pessoas cegas. “Ser cego não pode te impedir de ser bem-sucedido”, diz.

“Você precisa se concentrar no que você pode fazer, não no que você não pode.”

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »