Padaria no Centro de Curitiba deixa cesto com pães e salgados para quem precisa

Uma panificadora no Centro de Curitiba faza uma ação que beneficia moradores de rua ou que trabalham nela.

Todos os dias, uma cesta é colocada do lado de fora do estabelecimento com pães e salgados que sobraram do dia anterior para que quem passa pelo local.A Tradicionale Café & Panificadora fica na esquina das ruas Mariano Torres e Comendador Macedo e faz a doação há dez meses.

A ideia surgiu após a constatação de que sobravam muitos alimentos. “A gente viu que sobravam muitos pães dormidos de um dia para o outro e decidiu doar para moradores de rua. Como alguns clientes não se sentiam muitos confortáveis com a presença deles dentro do estabelecimento, colocamos a cesta com alimentos na frente”, relata a administradora da panificadora, Luiza Adriano.

Além dos pães, salgados e pães de queijo também são colocados na cesta. Em noites de frio, sopas também são compartilhadas. Mas há regras para consumir os alimentos: cada pessoa só pode pegar um item. “Conseguimos ‘educar’ eles para quem cumprissem isso.

Tem alguns que até mostram o pacotinho para gente que pegaram um só”, ressalta Luiza.Mas não é todo mundo que aprendeu a respeitar a organização feita pela padaria: pessoas que não precisam da doação também acabam levando algum alimento.

“As pessoas que não necessitam acabam passando e pegam mais, levam para o trabalho. Quem precisa não faz isso, porque sabe o que é passar fome e sabe o que o outro passa”, destaca a administradora.Ao lado do estabelecimento passa uma ciclovia, na qual trafegam carrinheiros que coletam itens recicláveis durante todo o dia e eles estão entre os principais beneficiados da ação.

“A gente sabe que eles saem cedo de casa, fazem força e muitas vezes não conseguem comer ao longo dia. Então a doação é importante para eles”, comenta.O ato também solidariza os clientes, que apoiam e também praticam a ação. “Eles ficam contentes e comovidos. Quando o cesto está vazio e alguém chega pedindo, algum cliente sempre compra um lanchinho, falando que prefere dar alimentos do que dinheiro”, conta a dona do estabelecimento.

No fim, a gratidão é o sentimento de Luiza e de quem trabalha na panificadora. “Ver que a nossa ação está ajudando alguém é muito recompensador. Sabemos que hoje existem várias pessoas passando fome e, ajudando um pouco delas, já nos faz seres humanos melhores”, ressalta.

Fonte: Gazeta do Povo

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »