Para incentivar escrita, professora envia cartas pelo correio para casa de alunos

Para incentivar escrita, professora envia cartas pelo correio para casa de alunos
Avalie este conteúdo

Projeto “Trocando Cartas” é realizado na Escola Municipal Henrique Talone, em Palmas. Ao todo, educadora enviou cartas para 70 alunos do 3º ano da educação fundamental.

A professora Vergiane Fornari resolveu resgatar uma prática um pouco fora de moda para envolver os alunos com a escrita. Ela trabalha na Escola Municipal Henrique Talone, em Palmas, e decidiu enviar cartas, pelos Correios, para a casa dos estudantes.

Na carta ela explica que o conteúdo de gêneros textuais que será aplicado nos próximos meses e como escrever e postar nos Correios. Além disso, aproveitou para mostrar o objetivo de um texto carta, a linguagem utilizada e a intimidade que esse meio de comunicação estabelecia no passado.

A iniciativa do projeto “Trocando Cartas” surgiu ao perceber que faltava uma motivação pois os alunos escreviam, copiavam, faziam leitura, mas não tinham interesse.

“Agora, com a empolgação deles vai ficar mais fácil entenderem a lógica, vão se preocupar com o capricho da caligrafia, praticar escrita e leitura, além de pensar, redigir e contar sobre o cotidiano da escola. O envolvimento da família é a base de tudo isso, pois vão ter que tirar um tempo para ajudar na produção das cartas e até postar as correspondências nos Correios”, detalhou.

Quando a carta chegou na casa da aluna Ana Clara Oliveira Bernardes, de 8 anos, ela ficou surpresa.

“Eu cheguei da aula e minha mãe estava olhando a caixinha do correio, aí ela disse que tinha uma carta pra mim, fiquei muito surpresa, pois nunca tinha recebido algo assim”, conta a estudante.

Segundo a estudante Ana Clara, quando e viu que a carta era da escola, imaginou que fosse sobre notas ou a respeito do seu comportamento na sala de aula.

“Me bateu um calafrio. Quando acabei de ler, pulei tanto de alegria que me emocionei”, conta a aluna ao revelar que já trabalha em uma carta resposta à professora. “No conteúdo da minha carta, que será enviada, quero agradecer a oportunidade de me proporcionar a minha primeira correspondência, porque meus pais já me contaram sobre esse tipo de comunicação do passado. Foi legal essa atitude, vivenciar os tempos passados, que as pessoas se comunicavam através de cartas.”

Ao todo, a professora enviou cartas para 70 alunos do 3º ano da educação fundamental. As cartas começaram a chegar na última segunda-feira (10), e segundo a professora alguns alunos ainda não receberam.

“Os que ainda não receberam estão ansiosos e já estão me cobrando suas correspondências. Isso comprova o envolvimento e sucesso do projeto.”

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »