Popularidade da tese de doutorado de Stephen Hawking derruba site da Universidade de Cambridge

Avalie este conteúdo

Trabalho, escrito quando o físico tinha 24 anos, foi publicado na internet nesta segunda-feira e já se tornou o documento mais acessado no site da universidade inglesa.

Em pleno século 21, uma tese de doutorado escrita por um jovem físico britânico em 1966 levou ao colapso, nesta segunda-feira (23), do site de uma das universidades mais prestigiadas do mundo. Tamanha popularidade seria de se estranhar, não fosse o autor do trabalho: Stephen Hawking, então com 24 anos.

Em menos de 12 horas, a tese, intitulada “As propriedades de um Universo em expansão”, foi acessada por mais de 30 mil pessoas no site da Universidade de Cambridge, na Inglaterra. É o documento mais visitado no site da instituição.

O físico, considerado um dos mais respeitados por seu trabalho, que ajuda a entender melhor o Universo em que vivemos, sinalizou que permitiu a publicação da tese na íntegra para “inspirar as pessoas”.

“Qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, deve ter acesso livre e sem limites – não somente à minha pesquisa, mas a todos os trabalhos de destaque possibilitados pelo entendimento humano”, acrescentou.

“É maravilhoso saber quantas pessoas mostraram algum interesse pela minha tese e que baixaram o documento. Espero que não se decepcionem.” O documento disponibilizado para o público tem 134 páginas – e levou a tamanha procura que o site da universidade ficou fora do ar algumas vezes.

A vida e a obra de Hawking costumam envolver superlativos – ele é autor do best-seller Uma Breve História do Tempo e teve sua trajetória retratada no filme A Teoria de Tudo, indicado a cinco categorias do Oscar e vencedor em uma delas (melhor ator, com Eddie Redmayne, que interpreta o físico).

“Cada geração se apoia nas costas daqueles que vieram anteriormente, como eu fiz quando era um jovem estudante em Cambridge, inspirado pelo trabalho de Isaac Newton, James Clerk Maxwell e Albert Einstein”, comemorou ele, de 75 anos.

Em nota, a Universidade de Cambridge afirmou que espera agora fomentar que outros acadêmicos permitam a publicação livre de seus trabalhos, tal como fez Hawking.

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »