Rali Dakar 2019 começa com recorde de mulheres inscritas

Rali Dakar 2019 começa com recorde de mulheres inscritas
Avalie este conteúdo

Competição terá o recorde histórico de mulheres inscritas, com 17 participantes.

A edição de 2019 Rali Dakar terá o recorde histórico de mulheres inscritas, com 17 participantes – três a mais que no ano passado – na competição, que começou nesta segunda-feira, 7, em Lima, no Peru, embora ainda haja clara minoria em relação aos mais de 500 competidores homens.

A Espanha, com quatro mulheres, é o país com maior representação feminina do rali, o mais perigoso do mundo.

Em seguida aparecem Alemanha, Holanda, República Tcheca e Peru, com duas mulheres cada, enquanto Bolívia, França, Itália, Paraguai e Rússia têm uma inscrita.

O grande destaque na lista é espanhola Laia Sanz, que obteve a melhor classificação entre as mulheres em todos os tempos, ao terminar no nono lugar em 2015, na categoria de motos. Além disso, a motociclista de 33 anos terminou todas as oito edições que disputou.

Também nas motos, seguindo os passos de Laia, a espanhola Sara García estreia no Dacar com o desafio de ser a primeira mulher a terminar o rali na divisão de “originais”, a mais difícil por não ter ajuda de mecânicos para fazer a manutenção durante todo o rali.

Anastasiya Nifontova, primeira russa a participar e concluir a competição, também tentará alcançar este objetivo.

Além disso, volta a estar entre as concorrentes Cristina Gutiérrez, a primeira espanhola a correr o Dakar e conseguir concluí-lo, entre os carros, no ano passado.

Sobre as quatro rodas também correrá a espanhola Rosa Romero Font, mulher do bicampeão da competição Nani Roma. A ex-concorrente nas motos será copiloto da italiana Camelia Liparoti, a representante feminina que mais vezes participou da competição, em 11 edições.

Camelia e Rosa correrão a bordo de um UTV (veículo utilitário off-road), que é veículo de dois lugares, um meio termo entre os quadriciclos e os carros de competição. Espanhola e italiana formarão uma das duas tripulações integralmente femininas na prova.

A outra dupla de mulheres que competirão a bordo de um UTV são as alemãs Annett Fischer e Andrea Mayer, esposa de Stéphane Peterhansel, 13 vezes campeão do Dakar.

Os anfitriões deste Dakar 100% peruano terão duas mulheres na competição: a piloto de carros Fernanda Kanno e a motociclista Gianna Velarde, que competirão entre elas para se tornar a primeira competidora da nacionalidade a terminar o rali.

O Paraguai terá sua primeira mulher no rali com a piloto de carros Andrea Lafarja, campeã sul-americana de cross country e ganhadora do rali Ruta 40, na Argentina.

A única mulher que este ano correrá de quadriciclo é Suany Martínez, a primeira boliviana a participar do Dakar e que este ano pretende, na sua terceira tentativa, cruzar a linha de chegada após não conseguir completar a prova nas duas últimas edições.

Na categoria de caminhões estarão a holandesa Elisabert Henrik e a francesa Florence Deronce como copilotos dos caminhões conduzidos por Eg Wigman e Sylvain Besnard, respectivamente.

Completam o elenco feminino do Dakar 2019 as tchecas Gabriela Novotna e Olga Rouckova, em moto e UTV, respectivamente, além da motociclista holandesa Mirjam Pol.

Fonte: Veja

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »