Tanzânia inaugura orfanato autossustentável inspirado em árvore

Ao criar o Centro Infantil Econef, ao pé do Monte Kilimanjaro, a montanha mais alta da África – no norte da Tanzânia, a ideia era levantar um orfanato autossustentável feito a partir da aplicação de tecnologias ecológicas.

Inaugurado em 2014, a instituição funciona como uma extensão de um orfanato para crianças que, na maioria dos casos, perderam os pais para o vírus HIV, e foi inspirada na árvore Baobá, que pode reter mais de 100 mil litros de água.

Com imenso tronco, a retenção de água se faz indispensável no continente africano, sobretudo em regiões áridas. Assim como esta árvore milenar, o prédio coleta a água da chuva usando uma calha central e canaliza-a para dois tanques. Desta forma, além de ser um prédio autossustentável, a instituição não depende de doações privadas para continuar em funcionamento.

Hoje, o orfanato também possui espaços de recreação, salas de aula e uma biblioteca, feitos em parceria com os escritórios de arquitetura LÖ&V, Asante, Arquitetos Sem Fronteiras e ainda o Engenheiros Sem Fronteiras.

O respeito por materiais locais e métodos construtivos tradicionais foram a base de todo o projeto, cujo prédio é adaptado às condições climáticas, culturais e econômicas locais. Também priorizou-se, ao máximo, técnicas de baixo custo e soluções que exigem pouca manutenção, como por exemplo a captação de água da chuva, o uso de painéis solares, o aquecimento solar de água, ventilação natural e sanitários ecológicos.

Ao redor do centro infantil, ainda há áreas para criação de animais e cultivo de vegetais, além do projeto em andamento para produzir biogás a partir dos dejetos de cabras, vacas e porcos. Um empreendimento que mostra que, adaptar as construções ao ambiente utilizando materiais disponíveis, é mais sustentável, barato e inteligente.

Baobá

O Baobá é uma espécie de árvore típica de regiões tropicais áridas e semi-áridas. Presente no continente africano, assim como na Austrália, elas se destacam pela capacidade de armazenamento de água no tronco, podendo guardar até 100 mil litros.

Esta árvore milenar é tida como um ícone definidor da savana africana, mas também está presente no Brasil, ainda que em pouca quantidade. Trazida pelos sacerdotes africanos, aqui os baobás foram plantados em locais específicos para o culto das religiões africanas.

Fonte: Hypeness

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »