Vacina de Oxford mostrou segurança para idosos em 2º fase de testes

Compartilhe Boas Notícias

A segunda fase de testes clínicas da vacina contra o novo coronavírus desenvolvido pela universidade de Oxford, no Reino Unido, indicou segurança para pessoas idosas saudáveis e provoca resposta imune, segundo publicou nesta quinta-feira a revista médica “The Lancet”.

O agente, que está sendo desenvolvido em parceria com a companhia farmacêutica AstraZeneca e outros órgãos, batizada ChAdOx1 nCoV-19, foi testada em 560 adultos saudáveis, entre eles, 240 com mais de 70 anos, com o objetivo de observar o impacto no sistema imunológico e os possíveis efeitos secundários.

Os resultados preliminares foram considerados “promissores” e indicam que a vacina oferece segurança e imunogenicidade iguais entre adultos de 18 e 55 anos e idosos.

Segundo o texto publicado na “The Lancet”, fase 2 permite concluir que o antídoto provoca “poucos efeitos secundários” e induz uma resposta no sistema imunológico de todos os grupos de idade, tanto em uma dose baixa, quanto na dose padrão.

De acordo com a análise dos testes, a vacina gera uma resposta das células T – que são capazes de encontrar e atacar células infectadas pelo novo coronavírus – após 14 dias da primeira dose, e resposta de anticorpos após 28 dias da dose de reforço.

Os autores indicam que a terceira fase de testes clínicos, que está em andamento, deve confirmar os resultados e determinar até que ponto a vacina é efetiva para proteger da infecção pelo patógeno, “em um grupo mais amplo e heterogêneo de pessoas”, incluindo aquelas com idade mais avançada ou com doenças crônicas.

O estudo divulgado hoje não mede a eficácia da vacina para proteger do novo coronavírus. Ao todo, 560 adultos (160 de 18 a 55 anos; 160 de 56 a 59; e 240 com mais de 70) em bom estado de saúde receberam a vacina de Oxford.

Os voluntários com mais de 55 anos foram divididos em dois grupos e receberam só uma dose da vacina ou duas, em um período de 28 dias. Todos foram observados para detectar possíveis casos adversos, assim como a resposta imunológica.

Os autores explicam que os efeitos secundários da ChAdOx1 nCoV-19 foram leves, como dor pela aplicação, fadiga, dor de cabeça, febre ou dor muscular. Foram detectados 13 casos graves, nos seis meses após a primeira dose, mas nenhum relacionado com a vacina.

Os pesquisadores apontaram que os efeitos secundários, inclusive, foram menos comuns em adultos idosos do que nos mais jovens.

Sarah Gilbert, uma das responsáveis pelos testes, afirmou que o estudo “responde a algumas das questões” levantadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a necessidade de vacinas contra o novo coronavírus para proteger os adultos idosos.

Fonte: https://www.uol.com.br/tilt/noticias/efe/2020/11/19/vacina-de-oxford-mostrou-seguranca-para-idosos-em-2-fase-de-testes.htm

Se curte nosso conteúdo, considere nos ajudar a manter o nosso trabalho diário no ar e continuar levando boas notícias a todos, através do https://mla.bs/d8cdcb20 😊

#jornaldeboasnoticias #boasnoticias #noticiaboa #goodnews #boasacoes #esperança #bonsexemplos #fazerobem #boanoticia #noticiapositiva

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »