Viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros em 2018 tem tráfego livre no 1º dia útil após reabertura

Via ficou fechada por quatro meses e foi reaberta depois de testes feitos no último sábado.

O viaduto da pista expressa da Marginal Pinheiros que cedeu em novembro de 2019 tinha trânsito tranquilo no início da manhã desta segunda-feira (18), primeiro dia útil após reabertura da via.

O viaduto voltou a ficar aberto para veículos neste sábado (16), após a Prefeitura realizar testes com caminhões carregados no local. A reabertura ocorreu quatro meses depois do incidente. A previsão inicial era que ele só voltaria a ser aberto para veículos em maio deste ano.

A expectativa era abrir a via apenas para carros. No entanto, técnicos asseguraram que não há necessidade de restringir a circulação de veículos.

Segundo o prefeito Bruno Covas (PSDB) afirmou em entrevista coletiva no sábado, apesar da liberação, os trabalhos ainda não foram concluídos. A gestão municipal espera anunciar o vencedor da licitação das obras de requalificação para dar início à próxima etapa.

“Parte das obras vão continuar, são obras de requalificação que podem ser feitas com ele sendo utilizado. Dia 12 [de abril] sai o vencedor desta obra que vai ser feita complementar à recuperação, que termina no dia de hoje”.

O custo total estimado das obras, com a requalificação, é de R$ 26,5 milhões. ” [O valor é] menos de 40% do que seriam os R$ 70 milhões, caso a gente tivesse que demolir e construir um novo viaduto.

Investigações

Na terça-feira (12), Ministério Público entrou na Justiça com uma ação civil pública para que a Prefeitura de São Paulo restrinja o tráfego em pontes e viadutos “em situação de grave risco” na cidade. Em nota, a gestão municipal informou apenas que não foi notificada.

Em fevereiro, a Prefeitura divulgou uma lista com 16 pontes e viadutos que precisam de perícia completa emergencial para identificar o risco de colapso. Metade está localizada na Zona Oeste.

A lista foi concluída após vistoria de 33 estruturas na cidade e o número atualizado pela Secretaria de Infraestrutura e Obras.

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »