Pesquisa da USP São Carlos testa proteína de trepadeira no combate ao vírus HIV

pesquisa
Visualizado 201 vezes

Em testes de laboratório, ação da substância mata 90% das células infectadas em apenas dez minutos. Resultado obtido foi publicado no Scientific Reports.

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, em parceria com a Universidade da Louisiana, nos Estados Unidos, testam uma substância para combater o vírus HIV. Os cientistas extraíram da semente de uma trepadeira, planta encontrada na região Nordeste do país, uma proteína chamada puchelina. Nos testes, ela matou 90% das células infectadas.

Segundo a pesquisadora Ana Paula Ulian Araújo, as sementes da planta Abrus pulchellus tenuiflorus são tóxicas e, se ingeridas, podem matar.

Efeito em células doentes

A proteína da semente foi ligada a anticorpos produzidos no laboratório. Os pesquisadores testaram a substância em células com o vírus HIV, fornecidas por um hospital norte-americano.

Nos testes feitos no Instituto de Física da USP, eles descobriram que a mistura da proteína puchelina com os anticorpos identifica somente as células doentes, matando o HIV. Já os glóbulos brancos sadios não são atingidos.

O resultado acaba de ser publicado em um dos principais sites de divulgação científica do mundo, o Scientific Reports, que reúne artigos da revista Nature.

Combate a ‘vírus escondidos’

Em todo o país, quase 830 mil pessoas são portadoras do HIV e, segundo o Ministério da Saúde, são 41 novos casos por ano. Hoje, os medicamentos matam apenas os vírus que estão circulando no organismo e, geralmente, provocam diarreia, vômito e manchas.

A substância produzida na USP, consegue eliminar também os vírus que estão ‘escondidos’ no corpo, em lugares como o sistema linfático e em partes do intestino.

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »