Homem transforma lar de idosos com Alzheimer em uma encantadora ‘vila’

ausxhhaimerson-nelson
Visualizado 2.029 vezes

O dia a dia de quem cuida de pessoas com Alzheimer pode ser desde uma caixinha de surpresas até uma rotina desgastante.

Além de muita paciência, compreensão e conhecimentos de enfermaria, o ambiente em que o paciente se encontra pode fazer toda a diferença em como ele lida com sua própria mente.

No lar de idosos Lanter, nos EUA, a senhora Norma, de 92 anos, por exemplo, diz todos os dias – em torno das 17h30 – que precisa ir embora para cuidar de sua mãe (já falecida).

Já o senhor Walter, exige que seu café da manhã seja servido às 19h30, diariamente.

04

Tocado pelas experiências peculiares desses seres humanos e pensando em proporcionar uma experiência mais agradável a seus pacientes – minimizando seus conflitos habituais – Jean Markesh, CEO desse lar, resolveu transformar suas instalações em uma encantadora vila dos anos 1930.

“E se projetarmos um ambiente que pareça externo? E se eu puder ter o nascer e o pôr do sol dentro do edifício? E se eu for capaz de ver a lua e as estrelas ao sair do quarto? E se eu construir uma unidade que leva os moradores de volta para os anos 30 e 40?” – refletiu ele.

UM MERGULHO NO TEMPO E NA NATUREZA

Em vez de quartos, cada morador recebe uma “casa” em uma pequena rua calma do interior que lembra os bairros onde muitos deles cresceram. Em vez de um teto chato, eles olham para cima e veem um céu digital que escurece no final do dia para ajudar a manter seus relógios biológicos em sintonia.

Durante todo o dia, sons da natureza e aromas frescos como hortelã-pimenta ou cítricos são canalizados por meio do carpete que lembra grama.

Nenhuma ideia estava fora de cogitação para Markesh. Seu objetivo é, claramente, proporcionar um mergulho no tempo e na natureza aos ‘moradores’ do lar.

VEJA COMO FICOU:

01

02

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »