Fazenda no deserto produz toneladas de tomates usando somente a luz do sol e água do mar

Avalie este conteúdo

Na agricultura tradicional, muitos produtores optam por utilizar sementes geneticamente modificadas para poder ter plantas mais resistentes a fungos e doenças. Também se faz necessário o uso da terra, lógico. Será preciso ainda fertilizantes e muita água. E pesticidas para matar pragas.

Mas será possível imaginar um tipo de agricultura que não use nada disso? Nem solo, nem água, muito menos agrotóxicos ou sementes transgênicas? A resposta é sim!

Esse tipo de tecnologia no campo já existe e de maneira muito bem sucedida na Austrália. O que parece ser uma inovação do futuro, começou a ser testado por uma equipe de pesquisadores internacionais há seis anos, em 2010, nas terras áridas de Port Augusta, no sul do país. E agora, a fazenda foi finalmente inaugurada.

No local escolhido para sediar o projeto não há acesso à água potável e as terras tinham sido degradadas pela pecuária e o clima inclemente da região (a Austrália tem sofrido com secas históricas nos últimos anos).

O projeto da Sundrop Farms, uma empresa especializada em agricultura sustentável, usa tecnologia de ponta. Algo nunca antes empregado. É pioneiro no mundo. Numa extensa propriedade, imensas estufas, de 5 hectares cada, produzem, através do processo hidropônico (que usa água no lugar da terra), 17 mil toneladas de tomates por ano. Como?

Primeiramente, a água do Golfo de Spencer, que fica a 2 km do local, é bombeada para a fazenda. Depois disso, ela passa por uma planta de dessalinização (retirada do sal), movida a energia solar. Em seguida, a água é utilizada para irrigar as estufas. Com a nova tecnologia, a Sundrop consegue dessalinizar 1 milhão de litros de água por dia.

A energia solar, que faz funcionar não somente a planta de dessalinização, como atende toda a demanda de eletricidade das estufas, é gerada por 23 mil espelhos que refletem a luz do sol numa torre de 115 metros de altura (entenda melhor como o sistema funciona em um dos vídeos ao final deste post).

Os pés de tomate crescem em cascas de coco e não há necessidade de uso de agrotóxicos ou pesticidas porque, segundo os cientistas, a água do mar limpa e esteriliza o ar.

Uma das principais vantagens deste sistema é que há pouquíssimo desperdício. Como o clima é totalmente controlado dentro das estufas, dificilmente existe perda de colheita. Além disso, com a produção hidropônica, a fazenda reutiliza constantemente a água.

Obviamente que o investimento para a construção da Sundrop Farms foi altíssimo: 200 milhões de dólares. Mas a empresa está confiante de que esta é a tecnologia a ser usada para atender a crescente demanda por alimentos num mundo que deve chegar a ter 9 bilhões de habitantes. Para os idealizadores do projeto, a inovação também garante o fim da dependência aos combustíveis fósseis.

Duas novas fazendas entrarão em funcionamento ainda este ano, uma delas em Portugal e outra nos Estados Unidos.

Fonte: Conexão Planeta

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »