Mães fazem festa para menino autista após ele ser rejeitado em aniversário de MS: ‘Diferente não é problemático’

Organizadoras do evento dizem que querem mostrar que Arthur é uma criança e pode se divertir como todas as outras. Mãe do menino já recebeu a notícia e afirmou estar feliz.

No grupo de mães do WhatsApp, em Campo Grande, a matéria se espalhou rapidamente e uma delas comentou: “A gente bem que podia se juntar e fazer uma festa para o Arthur né, o que vocês acham?”. Foi quando a doula Tatiana Marinho, de 39 anos, que possui um buffet em família, começou a organizar o evento para o menino autista de 2 anos de idade, que havia sido rejeitado em um aniversário. “Vamos mostrar que diferente não é problemático”.

“Nós temos um grupo chamado Aldeia Materna e alguém colocou o link do G1. Foi quando começamos uma discussão e decidimos fazer uma festa para ele. Minha mãe e irmã são proprietárias do buffet e elas toparam fazer algo por ele. Em seguida, falei com a mãe do Arthur e ela nos contou que ele gostava do Mickey, então toda a decoração será baseada no personagem”, afirmou Tatiana.

Segundo a doula, a mãe do menino também precisa ser acolhida. “Ela falou que toparia até uma reunião na casa dela. Mas, nós sentimos que essa mãe ficou machucada e precisa ser acolhida, principalmente porque o menino ainda não pode entender o que ocorreu. O que é mais bacana é que teremos inclusão, com outros meninos para brincar. Queremos mostrar que ele é uma criança e pode se divertir como todas as outras”, ressaltou.

Ao saber da notícia, a mãe do Arthur, Sara Onori, de 22 anos, disse que achou a atitude muito interessante. “Eu, sinceramente, não achei que a repercussão não seria tão grande assim. Por um lado, eu quis expor a situação porque tenho certeza que outras mães passaram por isso e ficaram quietas. Acho que o autismo precisa ser falado, não é um bicho de sete cabeças. As pessoas precisam de informação para não cometer o mesmo erro”, ressaltou.

Ainda conforme Sara, outras pessoas chegaram até ela e disseram que a mãe que enviou a mensagem, na qual diz que o filho dela é problemático e por isso não será convidado para o aniversário, estaria arrependida. “Não sei se é por conta da repercussão, mas, ela ainda não me procurou e disseram que vai fazer isso quando os ânimos se acalmarem”, finalizou.

Na semana anterior, Sara recebeu a mensagem de WhatsApp. A mãe ressaltou não convidaria o Arthur porque ele é meio problemático, algo que incomodaria outras crianças e ainda disse ao final: “Espero que você me entenda”.

A mãe do Arthur estava em um grupo e percebeu que outras mãe conversavam sobre a festa. Ao perguntar o que seria, recebeu a mensagem da mulher e ficou tão chocada que nem sequer respondeu: “Ela era minha amiga e tenho certeza que sabia da condição do Arthur, fiquei tão triste com a mensagem que estou até agora sem ação”, desabafou na ocasião.

Diagnóstico do menino ocorreu em uma consulta com neurologista, há pouco mais de 3 meses

A mãe disse ao G1 que já havia percebido algo no comportamento do filho. “Notei que ele levou mais tempo que as outras crianças para andar e falar…o Arthur também tem fixação com movimentos repetitivos, então ele gosta de acender e apagar a luz, observar o ventilador, ver o movimento das rodas. Ele não é problemático, é sensível e só precisa de um pouco de paciência das pessoas ao redor para se encaixar.”

Desde o início, Sara ressalta que buscou ajuda para entender o autismo, algo que ela já havia compartilhado com a mãe que enviou a mensagem. “Depois do que aconteceu eu fui lembrando das coisas e percebi que ela nunca me deu apoio, então, acho que já havia um preconceito aí”, lamenta.

Sara compartilhou a foto com a família e o pai do menino. O print da mensagem foi publicado no Facebook com um desabafo e o post foi compartilhado mais de 6 mil vezes, recebendo cerca de 4.420 mil comentários.

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »