Virado à paulista é tombado e se torna ‘patrimônio imaterial’

Virado à paulista é tombado e se torna ‘patrimônio imaterial’
Avalie este conteúdo

Prato leva ingredientes como feijão, farinha, carne-seca, bisteca e torresmo.

O tradicional Virado à Paulista, prato servido às segundas-feiras nos restaurantes, foi reconhecido como patrimônio imaterial do estado de São Paulo. O título foi dado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Governo do Estado de São Paulo (Condephaat).

Segundo o órgão, as justificativas para o novo título “giram em torno de sua importância nas viagens de expansão do território brasileiro”. Há referências documentais do prato desde 1602, quando era usado para alimentar as expedições bandeirantes.

A iguaria é originalmente composta por feijão engrossado por farinha de milho ou de mandioca e toucinho de porco. Hoje, a receita costuma levar bisteca, ovo, banana, arroz, couve, linguiça, torresmo e tutu.

Segundo a Secretaria de Cultura do Estado, o reconhecimento como patrimônio imaterial permite o reconhecimento de manifestações culturais, como o samba paulista, tombado em 2016. “O objetivo é identificar e reconhecer conhecimentos, formas de expressão, modos de fazer e viver, rituais, festas e manifestações que façam parte da cultura paulista”, disse a pasta.

Fonte: G1

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »