Rede social criada por brasileiros une voluntários no País

Em 2012, os amigos André Cervi, Bruno Tataren, Daniel Assunção e Luis Henrique Madaleno, criaram uma plataforma social que conecta pessoas com interesse em atividades voluntárias a organizações sociais que necessitam delas
Visualizado 2.285 vezes
Rede social criada por brasileiros une voluntários no País
Avalie este conteúdo

Em  julho de 2012, a internet ganhou uma nova plataforma social responsável por “conectar pessoas e organizações, facilitando o engajamento nas mais diversas possibilidades de voluntariado”, o Atados.

A iniciativa, pioneira no País, foi criada pelos amigos André Cervi, 25 anos, Bruno Tataren, 23 anos, Daniel Assunção, 24 anos e Luis Henrique Madaleno, 25 anos, com o intuito de ligar pessoas que têm interesse em atividades voluntárias a organizações sociais que necessitam dessas pessoas.

Hoje, além de conectar ONG’s com voluntários, a entidade tem um trabalho de engajamento de funcionários com empresas parceiras, formação de pessoas da rede e campanhas de comunicação para causas sociais. “O Atados é uma rede de organizações e pessoas inquietas que refletem e agem, de forma voluntária, para criar um mundo mais humanizado”, conta o administrador Gustavo Eiras, 23 anos, da área de relacionamento com ONG’s e formação.

As 280 organizações sociais cadastradas no site disponibilizam ações voluntárias, denominadas de atos, que podem ser realizadas por qualquer pessoa com interesse, disponibilidade e habilidade naquela tarefa. Só em julho último, 500 pessoas se candidataram a diversos trabalhos voluntários por meio do projeto. O Atados também trabalha com coletivos (ONG’s parceiras que não trabalham necessariamente com voluntariado) desenvolvendo eventos e mantém outros projetos com empresas privadas.

Com uma equipe de 15 funcionários contratados e uma rede com mais de 20 mil voluntários, o Atados atua de forma presencial e online em São Paulo, Brasília e Curitiba. No início, a iniciativa foi sustentada por prêmios conquistados na área de empreendedorismo social e tecnologia. Hoje, a maior fonte de captação de recursos financeiros são os projetos desenvolvidos em parceria com empresas, junto às áreas de Responsabilidade Social e Sustentabilidade.

Aprendizado diário
Gustavo Eiras conta que “a inspiração para o Atados veio de uma ideia anterior de criar uma rede em que as pessoas pudessem compartilhar suas vontades e necessidades”. “Disso, passamos para as necessidades das organizações sociais – que hoje disponibilizam os atos voluntários do site.” No dia a dia, os funcionários da rede atuam diretamente em algumas ações, mantendo cargos administrativos em paralelo. “Gostamos de nos envolver com as organizações parceiras. Cada um aqui atua como voluntário recorrente nos tipos de trabalhos e áreas que se identificam mais”, complementa.

As 280 organizações sociais cadastradas no site disponibilizam ações voluntárias, denominadas de atos. Só em julho último, 500 pessoas se candidataram a diversos trabalhos voluntários por meio do projeto

Foto: @atadosjuntandogenteboa/Facebook / Reprodução

“O aprendizado aqui é diário. Tentamos ser coerentes com o que pensamos, acreditamos e fazemos. Descobrimos que por mais que tenhamos vontade de abraçar o mundo, temos que encontrar nosso foco e saber dos nossos limites. O Atados é uma iniciativa nova que deriva de muitos sentimentos e envolve expectativas. Todos os dias, buscamos o equilíbrio entre rotina e novidade, ordem e caos, reflexão e ação, enquanto nos movimentamos”, finaliza Eiras.

Dialoog Comunicação
Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Seja o primeiro a comentar Assunto: "Rede social criada por brasileiros une voluntários no País"

Deixe um comentário

Translate »