Brasileiro com autismo desafia diagnósticos e se forma em medicina no MT

Avalie este conteúdo

Após ter nascido e crescido com autismo, ele comemora diploma em medicina.

Quando o jovem Enã Rezende colou grau recentemente, após concluir o curso de medicina da Universidade de Cuiabá, no Mato Grosse, ele e sua família tinham motivos ainda mais profundos para a felicidade: Enã chegou a ser diagnosticado como alguém que não conseguiria sequer se alfabetizar, por ter nascido e crescido com autismo.

Desde muito pequeno que Enã apresentou dificuldades na fala, na socialização, compreensão e em olhar nos olhos das pessoas. Ao mesmo tempo, era capaz de aprender qualquer coisa na primeira apreensão. Aos sete anos de idade, o pai morreu em um acidente de carro – e foi a partir do desejo de compreender o que havia acontecido com seu pai que Enã começou a se interessar por medicina.

Hoje seu trabalho é o de tentar salvar a vida de outros pais e mães. E os atendimentos o vem ajudando a superar inclusive dificuldades de sua condição: ele hoje consegue olhar nos olhos das pessoas que atende. Enã garante que não é o primeiro autista a se formar no Brasil, e que outros entraram em contato com ele depois de conhecerem sua história – mas muitos escondem seu autismo por medo do preconceito.

No ano que vem o médico recém-formado pretende começar sua especialização em neurologia – e seguir inspirando outras pessoas a superaram seus supostos limites.

Fonte: Hypeness

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »