Estudante cria projeto para cuidar de animais abandonados no Cefet e vira referência no estado

Estudante cria projeto para cuidar de animais abandonados no Cefet e vira referência no estado
Avalie este conteúdo

O SOS Bicho Amigo foi idealizado por Jennifer Oliveira Melo, de 20 anos, estudante do Cefet e que, hoje, cursa o 1º período de Veterinária.

Entre um intervalo e outro das aulas, um carinho na Clarinha, pausa para dar ração à Moana ou para brincar com Hércules. No projeto SOS Bicho Amigo, no Cefet-RJ, campus Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, gatos e cachorros que sofreram abandono ou maus-tratos recebem cuidados e encontram um novo lar. A iniciativa foi finalista da 3ª edição do Desafio Criativo da Escola, ano passado, que teve 1.492 inscritos em todo o país. Agora, sete campi do Cefet-RJ também vão receber o projeto.

— Desde criança, queria ser veterinária. Minha mãe colocava ração na minha lancheira para eu dar aos cachorros. Aqui no Cefet, apareciam muitos animais abandonados e cada aluno cuidava por conta própria. Levávamos para castrar, dávamos ração e fazíamos curativo. Mas a quantidade aumentou.

Com o crescimento no número de animais abandonados na instituição, Jennifer decidiu criar um projeto para buscar parcerias. A ONG Apaixonados por quatro patas foi uma das parceiras, que oferecia banho, tosa e até dia da beleza. Depois de cuidados, os animais são fotografados e encaminhados para adoção.

Ano passado, a jovem inscreveu o SOS Desafio Criativo da Escola. Dos 1.492 projetos inscritos, 131 foram do estado do Rio de Janeiro. Eles resultaram em um projeto premiado e outros dois destaque. Entre eles, o SOS Bicho Amigo.

Hoje, o projeto tem um canil e um gatil. Deu tão certo que, este ano, se expandiu.

— Há um mês, foi criado o núcleo de proteção animal e meio Ambiente do sistema Cefet-RJ (Nupama), com a ideia de ampliar para os outros campi, auxiliando quem já tem animais e orientando quem estiver os recebendo — explica Luane Fragoso, diretora do Cefet Nova Iguaçu, que tem 15 bichinhos.

O projeto ganhou as redes sociais. Na página Controle e combate aos maus-tratos e abandono de animais, no Facebook, são, por exemplo, quase 24 mil seguidores.

Aplicativo para facilitar adoção

A rede de defesa dos animais, que começou com o acolhimento de bichanos abandonados, vai ganhar mais um projeto: um aplicativo para facilitar as doações. O idealizador é Matheus Cabral, de 21 anos, estudante do 6º período de Engenharia de Controle e Automação do Cefet Nova Iguaçu.

— Sempre quis fazer uma ação social, mas não sabia como. Já tinha a ideia de criar um aplicativo, Decidi, então, incluir a causa animal — conta Matheus que, antes de ajudar no SOS Bicho Amigo, já cuidava de animais de rua.

O projeto está sendo desenvolvido com os colegas Caio Costa, de 21, e Raíssa dos Santos, de 16. Pelo aplicativo, organizações que cuidam de animais vão poder se cadastrar e mostrar sua localização, inclusive divulgando eventos de castração. Também poderão fazer o cadastro quem tem interesse em adotar e pessoas que resgatam animais para doação.

— A ideia é conectar quem precisa de ajuda com quem pode ajudar. Pretendemos que fique pronto em dezembro — diz o professor do curso de Telecomunicações Newton Norat, que está coordenando os alunos no projeto.

Inscrições abertas para Desafio Criativos da Escola

Estão abertas as inscrições para a premiação “Desafio Criativos da Escola 2018”. Realizado pelo programa Criativos da Escola, do Alana, o Desafio encoraja crianças e adolescentes, alunos do ensino fundamental ou médio, a protagonizarem histórias de mudanças a partir de problemas que atinjam suas escolas, comunidades ou mesmo municípios onde moram. As inscrições pode ser feitas no site do Criativos da Escola.

Desde a primeira edição do Desafio, em 2015, o Criativos da Escola já recebeu quase três mil projetos de todas as regiões brasileiras, em temáticas como saúde, meio ambiente, educação, inclusão, tecnologia, políticas públicas, entre outros. Este ano o Desafio reconhecerá, novamente, as onze iniciativas que mais se destacarem por ações marcadas pelo protagonismo, empatia, trabalho em equipe e criatividade. Três estudantes e um educador de cada grupo irão à premiação em Fortaleza (CE), para participar de atividades colaborativas que promovem trocas de experiências e fortalecimento das ações.

Fonte: Extra

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »