Menino coloca brinquedos à venda para ajudar seu Doberman doente

Menino coloca brinquedos à venda para ajudar seu Doberman doente
Avalie este conteúdo

O pet foi diagnosticado com síndrome de Wobbler, uma doença grave e cara para se tratar

Copper, um Doberman de quatro anos, é um membro muito importante na família Jayne. A princípio, era apenas um animal de estimação como todos os outros. Mas, quando o garotinho Connor de 10 anos começou a ter problemas de saúde, o papel do pet mudou: ele se transformou em um cão de serviço.

Tudo começou em 2016, quando Connor passou a sentir fortes dores de cabeça, fadiga, dentre outros problemas. Os médicos pediram uma bateria de exames, mas não conseguiram identificar o que estava acontecendo com ele. A resposta veio dias depois, após um gesto do Doberman.

Certa noite, Copper começou a latir descontroladamente para acordar Jennifer Jayne, mãe de Connor. Chegando ao quarto, o menino estava sofrendo uma forte convulsão. Após esse dia, os médicos chegaram a um diagnóstico: ansiedade severa e transtorno de estresse pós-traumático. Descobriu-se também que ele sofre de transtorno do déficit de atenção com hiperatividade.

Assim que os problemas do menino foram identificados, o canino se tornou ainda mais importante para família. Ele consegue sentir quando seu companheiro vai ter um ataque de ansiedade e age prontamente. O cão pressiona seu corpo contra o de Connor, ajudando a aliviar os sintomas.

Porém, recentemente foi Copper que percebeu algo de diferente com o cachorro. Ele estava com dificuldade para se locomover,  então Jennifer levou o pet ao veterinário. Após exames foi diagnosticada a síndrome de Wobbler, uma doença que afeta a coluna vertebral e impede o animal de andar. A família teria que desembolsar muito dinheiro para realizar mais exames, iniciar o tratamento e comprar remédios.

O garotinho não teve dúvidas de que era sua vez de retribuir todo apoio que Copper sempre lhe deu. Então, organizou um bazar na garagem para vender seus brinquedos. Qualquer dinheiro arrecadado seria usado para cobrir os custos do tratamento médico. E, se sobrasse, seria doado para ajudar outros cães.

Além da venda, a família criou uma página no Facebook para arrecadar mais dinheiro. A meta era de 2.800 dólares, mas, em duas semanas, atingiram 17 mil dólares. Graças às doações, Jennifer já conseguiu agendar a ressonância magnética do Doberman . “Suas doações fazem a terapia do Copper possível! Ela é muito cara e, sem sua generosidade, não teríamos todas as opções. Muito obrigado”, escreveu a família na página da vaquinha.

Fonte: Canal do Pet

 

 

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »