Grafiteiro transforma mensagens tristes de banheiro de escola em esperança

Compartilhe Boas Notícias

Artista completo, o grafiteiro Samuel Freiria vem significando a vida de alguns jovens através de sua arte.

Ele, que recentemente transformou mensagens suicidas nos banheiros de uma escola em palavras de apoio e esperança, apresenta ao mundo como podemos salvar as pessoas através da empatia. Baseado em Franca – interior de São Paulo, onde é bastante conhecido, seu novo trabalho foi um pedido da diretora da escola, preocupada com o teor das mensagens deixadas nas portas dos banheiros.

Precisamos falar sobre o suicídio e o Setembro Amarelo nos relembra da importância de discutir abertamente o assunto, ainda considerado um tabu. Nos últimos anos, as pessoas começaram debater mais sobre o combate ao suicídio e a depressão e esta tendência se reforça através das redes sociais e de séries de sucesso, como “13 Reasons Why”. Influenciadores digitais estão usando suas redes para tratar a questão, que merece toda a nossa atenção. Somente no Brasil, uma pessoa morre por suicídio a cada 45 minutos.

“Depressão não é frescura, às vezes uma palavra ou ouvido na hora certa pode ser um conforto para quem precisa”, palavras do artista que deveriam fazer parte do cotidiano de muita gente. Provavelmente você conhece alguém que sofre de depressão. Não finja que não está vendo, não diminua sua dor achando que é apenas mais um dia triste. Estenda os braços para quem precisa, dê esperança para quem já não sabe mais o signficado desta palavra!

O suicídio no Brasil

Segundo dados, o suicídio é a terceira causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no Brasil, ficando atrás apenas de violência interpessoal e acidentes de trânsito. Cerca de quase todos esses suicídios estão relacionados a transtornos mentais, como a depressão.

Campanhas de prevenção e conscientização da depressão e do suicídio podem fazer toda a diferença. Mais do que um gesto de generosidade, ajudar quem sofre de depressão é uma questão de empatia. Quanto mais este assunto for tratado como tabu, menos pessoas terão acesso ao tratamento adequado. Segundo Antônio Geraldo da Silva – presidente da Associação Psiquiátrica da América Latina (Apal), mais de 90% dos suicídios poderiam ser evitados se as pessoas tivessem acesso a tratamento e pudessem tratar a doença que leva ao suicídio.

Fonte: Hypeness

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »