Aplicativo facilita a venda de alimentos sem agrotóxicos produzidos no quintal de casa

Compartilhe Boas Notícias

Cultivar hortaliças, verduras, frutas e até alguns tipos flores comestíveis no quintal de casa é um costume adotado por muitas famílias brasileiras. Mas o que fazer com o excedente não se consegue consumir? Para a catarinense Mirian Wrublevski, eles deveriam estar na mesa de pessoas que buscam por alimentos frescos e sem agrotóxico. Para promover o consumo local e possibilitar o acesso a esse tipo de cultivo, ela desenvolveu o aplicativo Quintal, que permite renda para quem produz alimentos não só em propriedades rurais, mas também em áreas urbanas.

No aplicativo, além de saber o que o vizinho está produzindo e comercializando, é possível encontrar, em um mapa em tempo real, os produtores e vendedores de alimentos orgânicos da cidade e da região. “Acredito que os alimentos frescos e sem agrotóxicos precisam estar ao alcance de todos, o mais próximo possível de nossas casas. A ideia do aplicativo é, justamente essa, usar tecnologia e inteligência de geolocalização para incentivar quem já produz de forma saudável, a comercializar e fazer essa produção chegar a quem precisa e quer ter uma alimentação melhor, produzida localmente”, explica Mirian.

Com cerca de três meses de lançamento, o Quintal já está presente em mais de dois mil celulares e já tem mais de 580 usuários ativos, de todo Brasil, vendendo ou comprando alimentos. São mais de 160 itens diferentes anunciados, incluindo flores, ervas medicinais e plantas alimentícias não convencionais (Pancs).

Para desenvolver a ideia, Mirian conta que deixou o emprego em uma empresa de projeção nacional e internacional, e passou nove meses desenvolvendo testes e aperfeiçoamentos, para que a ferramenta pudesse ser facilmente utilizada até por quem tem pouca intimidade com tecnologia. Na cidade onde mora, São Bento do Sul, no planalto norte catarinense, várias pessoas já estão comprando alimentos orgânicos usando o Quintal. Pessoas que nem imaginavam que sua produção caseira poderia gerar renda também estão satisfeitas com a ideia.

É o caso da gastróloga Maria Luiza Hacke, que passou a vender hortaliças, legumes e algumas espécies de flores comestíveis por meio do aplicativo. Ela diz que antes de conhecer a ideia de Miriam, não fazia ideia de que a produção do quintal da casa dela poderia gerar uma renda extra. “Foi uma ideia genial. Eu vendo tudo o que anuncio no aplicativo. E é fantástica a reação das pessoas de saberem que estão comprando um alimento fresco, que acabou de ser colhido. Eles me dizem que tem outro sabor, outra cor. É uma experiência maravilhosa tanto para quem vende quanto para quem compra”, diz.

Como vender ou comprar usando o Quintal

Gratuito, o aplicativo do Quintal pode ser encontrado nas lojas de apps de celulares com sistemas operacionais Androide ou IOS. Quem quer comprar alimentos, só precisa autorizar a utilização da localização do aparelho para mostrar as opções mais próximas. Ao clicar no produto escolhido, a ferramenta envia o pedido para o vendedor, que combina pagamento, entrega ou retirada pelo Whatsapp. Segundo a criadora da ideia, em alguns casos, o comprador pode até combinar com o vendedor de colher pessoalmente o alimento.

Já para quem quer vender, caso a produção não tenha certificação como orgânica, além de tirar uma foto do produto, é necessário marcar um termo que garante a veracidade das informações de que não são utilizados agrotóxicos no cultivo. Essa informação deverá ser validada a cada produto incluído no aplicativo.  Para saber mais, basta acessar a página da ferramenta no Instagram.


Fonte: https://thegreenestpost.com/aplicativo-facilita-a-venda-de-alimentos-sem-agrotoxicos-produzidos-no-quintal-de-casa/

Se curte nosso conteúdo, considere nos ajudar a manter o nosso trabalho diário no ar e continuar levando boas notícias a todos, através do https://mla.bs/d8cdcb20 😊

#jornaldeboasnoticias #boasnoticias #noticiaboa #goodnews #boasacoes #esperança #bonsexemplos #fazerobem #boanoticia #noticiapositiva

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »