De morador de rua a destaque na Copa do Mundo: a trajetória do goleiro do Irã

De morador de rua a destaque na Copa do Mundo: a trajetória do goleiro do Irã
Avalie este conteúdo

Conheça a história de Alireza Beiranvand, antigo pastor nômade que passou por muitas dificuldades na vida, até ser fundamental na vitória sobre Marrocos na estreia da seleção iraniana na Rússia.

Estádio de São Petersburgo, Rússia. Aos 19 minutos, a seleção do Marrocos joga a bola na área adversária. Depois do bate-rebate, ela sobra para o capitão, Benatia, praticamente na marca do pênalti. Um gol, àquela altura, seria o ápice da pressão do time africano e a confirmação de um suposto favoritismo. Mas Alireza Beiranvand decide sair do gol. Uma das tantas intervenções do goleiro do Irã, um dos grandes destaques da vitória na estreia da Copa do Mundo.

Personagem de uma história incomum.

A história de Alireza Beiranvand começa nas montanhas da região de Lorestão, oeste do Irã. Filho mais velho de uma família de pastores nômades, viajava pelas pastagens em busca de alimento para o rebanho de ovelhas. Quando não era pastor, Beiranvand jogava futebol. Outro passatempo era o “Dal Paran”, brincadeira de arremessar pedras o mais longe possível. Guarde bem esse jogo.

Quando ele tinha 12 anos, a família decidiu se estabelecer na cidade Sarabias, onde havia um clube de futebol. Beiranvand começou a treinar lá, como atacante. Mas a contusão do goleiro titular fez ele mudar de posição – contra a vontade do pai, que tinha outros planos para ele.

– Meu pai não queria que eu jogasse futebol e me pediu para trabalhar. Ele até mesmo rasgou o meu uniforme e as minhas luvas, aí tive que agarrar só com as mãos, várias vezes – contou Alireza Beiranvand, em entrevista recente ao “Guardian”, publicada no início do mês.

“Passei por muitas dificuldades para fazer meus sonhos virarem realidade, mas não tenho intenção alguma de esquecê-las, porque elas me fizeram quem sou hoje”

A solução foi dormir perto da Torre Azadi, com outros pobres imigrantes. Houve noites em que o refúgio foi a porta do clube onde treinava (pagando). Finalmente a oportunidade veio, junto com o abrigo na casa do capitão do time. Para pagar pela hospedagem, Alireza começou a trabalhar em uma fábrica de roupas. E depois num lava-jato. Entrega de pizza. Varredor de rua. Finalmente, goleiro do sub-23 do Naft Teerã.

Alireza Beiranvand se tornou o titular do gol do Irã em 2015 e foi fundamental para a classificação para a Copa do Mundo. Foram 12 jogos sem sofrer gols nas Eliminatórias. Desde a Copa de 2014, o Irã não levou gol em 78% das partidas por competições oficiais (18 de 23).

A estreia no Mundial em 2018 não poderia ter sido melhor. Defesas importantes nos chutes de Benatia e Ziyech. Vitória em cima da seleção de Marrocos, com gol nos acréscimos. Segundo triunfo do Irã na história das Copas. Na próximas rodada, Alireza Beiranvand terá pela frente o poderoso ataque da Espanha. Mas para quem já passou pelo o que ele passou, um Diego Costa a mais ou a menos não é para se ter medo.

Fonte: Globo Esporte

Se você quer receber atualizações sobre este tema ou outros de nossa página, inscreva-se abaixo:
Receba boas notícias em seu Email


Translate »